Exigência máxima até ao fim dos dias

O Mundo dos Guarda-Redes 02-05-2019 00:44
Por Roberto Rivelino

Frase a destacar: O guarda-redes deve retardar o processo natural do corpo, independentemente do tempo de jogo

De Douglas Jesus, Iker Casillas, Rafael Bracali e Ricardo Nunes na Primeira Liga, passando por José Moreira, Rafael Defendi, Peçanha na Segunda, até Rui Rêgo, Isac Gomes, Márcio Paiva, Carlos Fernandes, Nené Dias ou Paulinho Correia no Campeonato de Portugal, são vários os guarda-redes que estão na segunda metade da terceira década de aniversários e continuam a produzir defesas. O talento, esse da defesa da baliza, corre-lhes pelo sangue mas a longevidade das suas capacidades depende dos mesmos, além daquilo que lhe é exigido no treino – é sobre isso que se vai falar (a parte ou o cuidado pessoal).

 

Com o passar dos anos qualquer jogador deve preocupar-se com as suas capacidades físicas – como dizem, a idade não perdoa -, e no que toca ao guarda-redes, essa preocupação deve ser mais acentuada. Imaginam ser possível defender sem potência ou força física? É a mãe de todas as defesas – vejam as intervenções de Charles ou Muriel -, que depois se alia à capacidade técnica e às qualidades cognitivas e emocionais.

 

Um guarda-redes que desperta a minha curiosidade n este capítulo é Gianluigi Buffon, que ano após ano finta lacunas físicas com as qualidades que o levaram ao topo (cultura de jogo e cultura emocional) – ou então repare-se a caminhada de Manuel Neuer até se encontrar com o topo das suas capacidades.

 

Em Portugal, olho para a defesa espetacular que Rafael Bracali protagonizou frente ao Tondela na jornada anterior e percebo o valor bruto de um dos goleiros mais competentes que passou pelo país nos últimos anos e que tem, literalmente, sob as pernas o peso de ter sido segunda opção em grande parte da temporada, face a um guarda-redes mais jovem e com maior potencialidade de negócio – Helton Leite, protagonista de defesas e momentos de alta visibilidade em grande parte graças a capacidades físicas assinaláveis.

 

A volta, para reforçar que, independentemente do tempo de jogo ou perspetivas futuras, todos os guarda-redes querem e pretendem ser a escolha principal das suas equipas e, por vezes, o que lhes é proposto no treino específico – seja por escassez de tempo, planeamento ou metodologia do treinador de guarda-redes -, acaba por não ser suficiente para retardar o processo natural do corpo, ficando-lhes nas mãos reverter ou atrasar essa condição.

 

Defesa da jornada

Muriel Becker – CD Aves 3-0 Os Belenenses – 37’ – Encaixe superior lateral

 

Avaliação da defesa: 7 (sete)

 

Critério: A defesa da jornada é escolhida por um critério de pesagem entre execução técnica, interpretação tática e complexidade da tomada de decisão.

 

01 – Momento do pontapé de bicicleta de Diego Galo; Muriel Becker encontrava-se junto à linha defensiva, mas recua após perceber não ter chance de intercetar o lançamento lateral; Encontra-se em posição-base média-baixa com os apoios frontais à ação;

 

02 – Partida para o voo; Muriel Becker retarda a execução para perceber o trajeto da bola (benefício do recuo posicional), partindo para o voo e posterior encaixe com o pé de chamada direito;

 

03 – Momento da defesa de Muriel Becker em encaixe superior lateral, intercetando a bola já no seu trajeto descendente – depois de agarrar o esférico não larga mais, protegendo a queda com o mesmo

 

 

Siga Roberto Rivelino:

Facebook, Twitter e Instagram 

e O Mundo dos Guarda-Redes 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias