Presidente cede aos protestos e não se recandidata

Argélia 11-03-2019 23:11
Por Redação

Em mensagem publicada pela agência oficial APS, o presidente Bouteflika afirma que a eleição presidencial terá lugar «na sequência» de uma conferência nacional para reformar o sistema político e elaborar um projeto de Constituição até ao final de 2019.

 

O anúncio da recandidatura de Bouteflika, de 82 anos, e num estado de saúde precário desde 2013, causou enormes protestos no país.

 

Às manifestações juntaram-se nas últimas horas juízes, autoridades religiosas e a central sindical.

 

A Argélia viveu esta segunda-feira um segundo dia de greve nacional e, após milhares de estudantes terem saído para a rua no domingo (primeiro dia da semana), o governo anunciou a antecipação das férias escolares.

 

Abdelaziz Bouteflika regressou no domingo à Argélia, após ter estado internado durante duas semanas num hospital em Genebra (Suíça) para exames médicos - as sequelas de um AVC impedem Bouteflika de falar em público e tornaram raras as suas aparições públicas.

 

Desde 22 de fevereiro que os argelinos têm saído às ruas para exigir que o chefe do Estado renuncie à recandidatura do antigo veterano na guerra da independência.

 

O anúncio posterior de que, em caso de vitória, Bouteflika iria apenas cumprir um ano de mandato e renunciar, ainda causou mais mal-estar.

Ler Mais

Últimas Notícias

Mundos