Estrutura mental

O Mundo dos Guarda-Redes 21-02-2019 08:46
Por Roberto Rivelino

Um momento diferenciador de qualidades nos guarda-redes identifica-se na resposta deste(s) nos momentos de maior aflição coletiva. Pese a influência do grupo no guardião, ele deve ser capaz de se abstrair do sucesso ou insucesso coletivo para registar uma abordagem ao jogo que conseguiria fazer acontecer em condições normais (diga-se, na pureza da essência do seu jogo).

 

Como alvo preferencial em qualquer situação – em vitória, empate ou derrota há sempre um comentário positivo ou negativo para o guarda-redes (em qualquer grupo: observadores, treinadores, jogadores da equipa, adversários ou adeptos) -, o guarda-redes deve conseguir criar uma camuflagem que o permita (vamos exemplificar), salvar-se pese o descalabro coletivo ou manter a linha na presença de um jogo equilibrado ou positivo da parte da sua equipa, pois encontra-se numa função em que não pode desarmar os níveis de concentração em qualquer um dos segundos que contam 90 minutos.

 

Percebendo se o guarda-redes mostra regularidade na sua abordagem mental (positiva ou negativa), ao jogo em situações favoráveis (não se desconcentrar quando a equipa se encontra a ganhar ou estiver a controlar o jogo), ou desfavoráveis (baixar os braços num dia em que o coletivo tenha sofrido golos), também podem perceber-se as condições (positivas ou negativas), do guardião para enfrentar situações mais complexas no jogo (caso único – 90 minutos), ou na temporada (capacidade de resposta em competitividade, conquista da confiança do grupo, habituação e conhecimento dos mecanismos do sistema defensivo ou coletivo…).

 

Nesta interpretação, deve se alertar para a importância de captar a natureza do guarda-redes em competição e não só com base num jogo. Como se diz, em jeito popular, “todos os guarda-redes têm bons jogos. Uma temporada boa já é mais complicado” e isto deve ficar em mente para qualquer necessidade de observação (lazer ou profissão), ou aprovação (contratar um guarda-redes para ser número um ou para propulsar rendimento ao número um e crescer em treino, com reduzidas expectativas de jogo).

 

Defesa da jornada (22.ª) 
 

Tiago Sá – Sporting 3-0 SC Braga – 14’ – Desvio lateral

Avaliação da defesa: seis (seis)

Critério: A defesa da jornada é escolhida por um critério de pesagem entre execução técnica, interpretação tática e complexidade da tomada de decisão.

01 – Momento do passe de Ristovski para Bas Dost – Tiago Sá encontra-se enquadrado com as possibilidades do adversário (remate, passe, bola em profundidade), em posição-base média e com os apoios no sentido da bola.

 

02 – Momento do remate de Bas Dost (a bola passou o centro da área), efetuado de primeira; Tiago Sá encontra-se com os apoios fixos – frontais à bola -, em posição-base média-baixa, partindo para a bola apenas após o remate; Deslocou-se de posicionamento 01 para 02 sem cruzar apoios.

03 – Momento da defesa; Tiago Sá protagoniza o desvio lateral, partindo para a intervenção sem cair na intuição (esperou pela decisão de Bas Dost), e sem precipitações quanto ao posicionamento – manteve-se sempre em posição-base média-baixa e sem saltos prejudiciais (pronto a executar).


 

 

Siga Roberto Rivelino:

FacebookTwitter e Instagram 

O Mundo dos Guarda-Redes 

 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias