«Devias ter ficado em casa a lavar louça» vale três meses de suspensão

FPF 11-10-2018 16:24
Por Redação

É um castigo inédito em Portugal: pela primeira vez, o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol puniu um agente desportivo por discriminação de género.

 

O agente em causa é José Carlos Bastos, treinador do Clube Albergaria, que foi acusado de «comportamento discriminatória» e «uso de expressões ou gestos grosseiros, impróprios ou incorretos» e punido com três meses de suspensão.

 

Tudo ocorreu a 4 de fevereiro num jogo do campeonato de futebol feminino com Valadares Gaia. José Carlos Bastos, que não aparece inscrito na ficha de jogo, saiu da bancada e junto à linha de fundo dirigiu-se à árbitra Ana Amorim: «Devias ter ficado em cada a lavar a loiça, não mereces o dinheiro que ganhas.»

 

Após o jogo, já no acesso aos balneários, voltou a dirigir-se à líder da equipa de arbitragem: «Se quiseres o vídeo dá-me o teu mail para veres a m… que fizeste na segunda parte, vieste para aqui brincar connosco.»

 

Na defesa, José Carlos Bastos garante ser «completamente contra a utilização de expressões que ofendam a dignidade das pessoas» e acrescenta: «Não faz qualquer sentido que uma pessoa como eu, que tem dedicado parte da sua vida ao associativismo desportivo e trabalhado com pessoas do género feminino, possa proferir expressões de índole sexista.»

 

Argumentos que não convenceram o CD da FPF, que considera que o dirigente teve «discriminatório, cometido em circunstâncias que revelam especial censurabilidade, por ter sido cometida contra árbitra».

 

Além do período de suspensão, José Carlos Bastos foi ainda condenado a pagar uma multa de 1.020 euros e a pagar as custas do processo.

Ler Mais
Comentários (25)

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais