Ministério Público arquiva processo contra presidente da Federação

Futebol 22-09-2017 19:15
Por Lusa
O Ministério Público da Guiné-Bissau arquivou os processos de inquérito contra o presidente da Federação de futebol, Manuel Lopes, por «carência de indícios», disse fonte judicial.

Segundo o despacho do magistrado Blimat Sanhá, titular do processo de inquérito às denúncias de alegada corrupção na federação, apresentadas no início do ano por Inum Embalo, ex-vice-presidente daquela instituição, as diligências contra Manuel Lopes «vão parar por aqui».

O magistrado fundamenta a sua decisão com inexistência de «indícios suficientes» para avançar com a acusação contra o presidente da federação, a secretária-geral, Virgínia da Cruz, bem como a secretária do próprio líder federativo, Denilza Cá.

Os três elementos, que foram constituídos suspeitos nos autos e ouvidos no Ministério Público, foram apontados por Inum Embaló, como tendo sido autores de desfalques nas contas da Federação na ordem de mais de mil milhões de francos CFA (cerca de 1,5 milhões de euros).

As denúncias e desmentidos de alegadas suspeitas de corrupção na Federação de futebol marcaram praticamente todo ano de 2016 nos meios desportivos guineenses.

Fonte da Federação disse à Lusa que não está de parte a possibilidade de a instituição entrar com um processo contra Inum Embaló, «pedindo a reparação de danos morais e ao bom-nome dos lesados».

A mesma fonte adiantou que a decisão que for adotada será submetida à apreciação dos associados no congresso da Federação marcado para 14 de outubro, em Bissau.

A Lusa tentou contatar Inum Embaló, mas sem sucesso.
Ler Mais

Últimas Notícias