Académica-Benfica: Alegado agressor ouvido hoje no DIAP

Futebol 16-07-2019 07:11
Por Eduardo Pedrosa Marques

O alegado autor da agressão a José Dinis, durante o jogo particular Académica-Benfica, no sábado, apresenta-se hoje no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra para prestar declarações. Ao que A BOLA apurou, trata-se de Nuno Mendes, adepto da Académica que mora nos arredores de Coimbra.


A polícia já está na posse dos dados identificativos do suposto agressor (já identificado noutras ocasiões, também em recintos desportivos) e, dadas as provas concretas do momento da agressão, reencaminhou o processo para o Ministério Público que, com base nesses dados ou até no relatório do árbitro - se nele constar o incidente, algo que parece óbvio até pelo facto de o jogo ter estado interrompido cerca de sete minutos… -, poderá deduzir a respetiva acusação.


Na moldura penal portuguesa, e se o caso chegar a tribunal, poderão estar em causa, pelo menos, dois crimes. O primeiro, talvez até o mais provável, o crime de ofensa à integridade física, seja na forma simples ou qualificada. Mas a situação poderá ser mais grave caso a acusação deduzida seja a de tentativa de homicídio. A causa do dano, que será determinada através do relatório pericial médico, poderá ser decisiva.

 

O lesado pode, em simultâneo, pedir uma indemnização ao alegado agressor, por danos patrimoniais e não patrimoniais. A BOLA também sabe que José Dinis apresentará uma queixa-crime.

 

O adepto do Benfica continua internado no Serviço de Ortopedia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. José Dinis foi empurrado enquanto esperava que passasse um grupo de adeptos da Académica, escoltados pela polícia. Na queda, fraturou a vértebra D12 da coluna e ainda não se sabe se terá de ser operado, situação que só deverá ser clarificada nos próximos dias pelo corpo clínico que está a acompanhá-lo.
 

Pode ser banido

O alegado agressor pode também sofrer sanções desportivas e ser punido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Nesse capítulo, e perante a decisão tomada, o cidadão em causa poderá ser impedido de frequentar recintos desportivos durante um eventual período de tempo ou, no limite, ser mesmo banido.

O FUTURO COM O NOSSO PASSADO


Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo de qualidade que se faz da grande história, da investigação e da grande reportagem – nós temos esse jornalismo (o jornalismo que fez com que se falasse de A BOLA como a Bíblia) para lhe continuar a dar.

Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo do texto criativo e sedutor e da opinião acutilante que não se faz de cócoras ou de mão estendida – nós temos esse jornalismo para lhe continuar a dar…

… e para nos ajudar a manter e a melhorar esse jornalismo sério e independente com o timbre de A BOLA,

Junte-se a nós nesse novo desafio ao futuro, tornando-se nosso assinante.

ASSINE AQUI

A Edição Digital de A Bola

Ler Mais
Comentários (5)

Últimas Notícias