Salvador responde a Carlos Pereira: «Ele que acenda uma velinha para nos agradecer»

SC Braga 15-07-2019 08:20
Por João José Pedro

O valor da transferência de Dyego Sousa para o Shenzhen continua a dar que falar. Após as críticas dos adeptos bracarenses, desta vez António Salvador foi confrontado diretamente por Theodoro Fonseca, acionista maioritário da SAD do Portimonense que tinha interesses (não revelados) no negócio da venda do avançado para a China. Ambos foram protagonistas de acesa discussão pública por ocasião do jogo de anteontem entre o Portimonense e o SC Braga, com o investidor principal dos algarvios a acusar o bracarense de o prejudicar financeiramente.

 

Quem também se manifestou contra Salvador foi Carlos Pereira, que tinha direito a 25 por cento dos proveitos do negócio. Como tudo foi fechado por €5,4M, em vez dos €15M que tinham sido fixados como valor para a transferência, o Marítimo apenas recebe €1,3M.


Presente no estágio do SC Braga no Algarve, António Salvador respondeu às acusações de Carlos Pereira. «Fiquei surpreendido com essas declarações do presidente do Marítimo. Se diz que quer falar comigo, podia tê-lo feito quando estivemos juntos na última quarta-feira, durante a apresentação do Canal 11. Temos estima pelo presidente do Marítimo, com quem existem relações institucionais, e estou disponível para conversar», disse Salvador, que lançou depois uma farpa com tom irónico ao madeirense.

 

«Se quiser visitar-me em Braga, vamos ao Bom Jesus e ele até acende uma velinha de agradecimento por o SC Braga lhe ter permitido um encaixe relevante com o Dyego. Se bem se lembra, assinámos com o Dyego quando ele estava sem contrato. Felizmente para o Marítimo, o jogador escolheu o SC Braga quando cumpria nove meses de castigo e poucos acreditavam nele. Se tivesse ido para outro clube, o Marítimo nada receberia. Mais ninguém teria tido o gesto que o SC Braga entendeu que devia ter», reforçou António Salvador. 
 

O FUTURO COM O NOSSO PASSADO


Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo de qualidade que se faz da grande história, da investigação e da grande reportagem – nós temos esse jornalismo (o jornalismo que fez com que se falasse de A BOLA como a Bíblia) para lhe continuar a dar.

Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo do texto criativo e sedutor e da opinião acutilante que não se faz de cócoras ou de mão estendida – nós temos esse jornalismo para lhe continuar a dar…

… e para nos ajudar a manter e a melhorar esse jornalismo sério e independente com o timbre de A BOLA,

Junte-se a nós nesse novo desafio ao futuro, tornando-se nosso assinante.

ASSINE AQUI

A Edição Digital de A Bola

Ler Mais
Comentários (26)

Últimas Notícias