Azeredo Lopes acusado de abuso de poder, denegação de justiça e prevaricação no caso de Tancos

Justiça 26-09-2019 17:36
Por Redação

O ex-ministro da Defesa Azeredo Lopes foi acusado pelo Ministério Público (MP) de abuso de poder, denegação de justiça e prevaricação no caso de Tancos.

 

O MP revelou a conclusão do inquérito ao roubo e aparecimento do material militar, tendo deduzido acusação contra 23 arguidos, sendo que o ex-ministro fica proibido de exercer funções.

 

Dos 23 arguidos, 9 estão acusados do planeamento e realização do furto. «Um deles, militar, forneceu ao grupo executante informação acerca dos PNT, da sua localização, com indicação do melhor local para se introduzirem no respetivo espaço vedado, bem como do mau funcionamento das rondas. De acordo com a acusação, os restantes 8 executaram o plano: cortaram a rede, introduziram-se no perímetro da instalação militar, destruíram fechaduras de paióis e retiraram do seu interior várias caixas com material militar que ali se encontravam armazenadas, pertença do Exército Português», explica o MP em comunicado. «Estes indivíduos foram acusados, designadamente, por crimes de terrorismo (com referência ao crime de furto), de tráfico e mediação de armas, de associação criminosa, bem como de tráfico de estupefacientes».

 

«Os restantes 14 arguidos, neles se incluindo militares da Polícia Judiciária Militar (PJM) e da Guarda Nacional Republicana (GNR), de diversas patentes, um técnico do Laboratório da PJM e o ex-ministro da Defesa Nacional, são suspeitos da encenação que esteve na base da recuperação de grande parte do material militar subtraído. Estão todos acusados
pelos crimes de favorecimento pessoal e denegação de justiça e prevaricação, sendo que os militares e o técnico do Laboratório estão também acusados, designadamente, por crimes de falsificação de documento, tráfico e mediação de armas e associação criminosa», diz ainda.

 

Ler Mais

Últimas Notícias