Ex-chefe da campanha de Trump vai cooperar com investigação Muller

Estados Unidos 14-09-2018 18:08
Por Redação

O ex-chefe da campanha do presidente Donald Trump, Paul Manafort, chegou a um acordo judicial e declarou-se culpado de duas acusações esta sexta-feira, num tribunal federal em Washington, comprometendo-se a colaborar com o departamento de Justiça e e investigação do procurador especial Robert Mueller. As duas acusações - obstrução de justiça e conspiração contra os EUA - têm a ver com as suas finanças pessoais e seu trabalho de consultoria a um político da Ucrânia, não com a alegada ingerência russa nas eleições.

 

Ainda assim, Manafort vai cooperar com as investigações que procuram possíveis laços entre membros da campanha de Trump e russos ligados ao Kremlin.

 

O acordo judicial evita um novo julgamento, que começaria na próxima semana e segundo o site Politico, o acordo inclui um limite de 10 anos de prisão.

 

No mês passado, Manafort foi condenado por oito de 18 acusações de fraude bancária e fiscal que enfrentou num julgamento na Virgínia.

 

 

Reação da Casa Branca

 

A decisão de Manafort pode mudar a opinião de Donald Trump, que elogiou o seu ex-assessor no mês passado por não fazer acordos, ao contrário do que fez seu ex-advogado pessoal Michael Cohen.

 

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, disse que o acordo de Manafort «nada tem nada a ver com Trump ou sua vitória nas eleições de 2016».

 

Ler Mais

Últimas Notícias