Ronnie encanta (6-0) e Selby desilude em Xangai

Snooker 10-09-2019 16:15
Por António Barroso

O inglês Ronnie O’Sullivan, de 43 anos, número dois do ranking e pentacampeão mundial (2001, 2004, 2008, 2012 e 2013) estreou-se esta terça-feira na época 2019/2020 da World Snooker, e regressou à competição após quatro meses e meio de interregno desde o Mundial, em abril, com uma exibição de deixar água na boca para o resto da temporada, ao pulverizar (6-0) nos oitavos de final do Xangai Masters (China), onde tenta o seu quarto triunfo (e terceiro de seguida) o amador chinês chinês Zhang Yi, de 25 anos, com momentos de encantar e encher o olho ante o seu antagonista.

 

140 dias após ser batido por outro então amador, o seu compatriota James Cahill, logo na primeira ronda do Mundial, o Rocket voltou a competir e mostrou que vinha com fome de bola. Em hora e meia tudo estava terminado, com Ronnie a fazer jus à alcunha de Foguete e a arrumar com o jogo, e o quase inexistente e nervosíssimo adversário, em sensivelmente uma hora de encontro efetivo, à mesa...

 

Alucinante média de 10 minutos por cada frame, com entradas de 55, 54, 69 e 65 pontos para chegar com 4-0 ao intervalo e encantar depois deste, ao igualar a melhor entrada do torneio, que pertencia a Shaun Murphy, com 136 pontos no quinto frame, para o 5-0, e fechar com nova centenária - sua segunda no encontro, e 1011.ª da carreira -, com break de 132 pontos.

 

Bastará referir que na mesa ao lado, de onde saiu o seu próximo adversário, quinta-feira, dia 12, nos ‘quartos’, Kyren Wilson e Xiao Guodong iam em… 2-2, e já Ronnie dava autógrafos à atónita plateia. Será o compatriota inglês, de 27 anos, oitavo da hierarquia o próximo obstáculo no caminho de Ronnie, quinta-feira, nos quartos de final, para terceira vitória de rajada no torneio, ao vencer o chinês de 30 anos, 24.º da hierarquia, por 6-4, duelo que se prolongou e só terminou mais de duas horas após O’Sullivan já estar a descansar no seu quarto de hotel...

 

Pela manhã, num embate de campeões mundiais, o inglês Shaun Murphy (vencedor no Crucible em 2005) impôs-se na negra (6-5) ao galês Mark Williams (triunfador em Sheffield em 2000, 2003 e 2018) e marcou lugar nos quartos de final ante o sensacional compatriota Jack Lisowski, de 28 anos, 11.º da hierarquia, que não teve contemplações com o tricampeão mundial (2014, 2016 e 2017) e sexto da tabela mundial (número um durante quatro anos, até março do corrente ano), Mark Selby, de 36 anos, e com duas centenárias anotadas, bateu o também compatriota de Leicester por esclarecedores 6-3, noutra surpresa da prova.

 

Antes, outro inglês e campeão mundial (em 2015), Stuart Bingham, de 43 anos, 13.º do ranking, ficara pelo caminho ante o chinês Liang Wenbo, de 32 anos, 34.º da tabela mundial (4-6), e David Gilbert cilindrou (6-0) o amador local Cao Jin.

 

Para quarta-feira, dia 11 do corrente mês, cartaz de luxo na conclusão dos oitavos de final, com mais três profissionais já campeões mundiais em ação. Há Judd Trump, campeão e líder da tabela mundial, em ação – defronta o seu compatriota David Gilbert -, assim como o pentacampeão mundial (1998, 2007, 2009 e 2011) e atual vice-campeão, o escocês John Higgins, diante de Barry Hawkins. Por seu turno, o norte-irlandês Mark Allen enfrentará Liang Wenbo e o australiano Neil Robertson, campeão mundial em 2010, estará também em teste ante o ídolo local, Ding Junhui.

 

O Xangai Masters, torneio da época 2019/2020 da World Snooker em curso até domingo, dia 15 do corrente mês, é uma prova por convite a 24 atletas, profissionais e amadores - por esse motivo não pontua para o ranking - e distribui 750 mil libras (837.101 euros) de prémios: o campeão leva 200 mil libras (223.227 euros) e tem transmissão para Portugal (EuroSport). Ronnie defende o título de 2018, em que bateu Barry Hawkins na final, por 11-9.

 

Os quartos, quinta-feira, ainda serão jogados à melhor de 11 possíveis frames: vence o primeiro a chegar a seis (de 6-0 a possíveis 6-5). As meias-finais em Xangai são disputadas sexta-feira e sábado, no hotel Regal International da cidade chinesa, à melhor de 19 possíveis parciais, até um ganhar dez (de 10-0 a possíveis 10-9). A final, domingo, dia 15, será à melhor de 21: é campeão o primeiro a vencer 11 frames (de 11-0 a possíveis 11-10).

 

Jogos da 1.ª ronda, esta 3.ª feira (apurados a negro):

Stuart Bingham-Liang Wenbo, 4-6

David Gilbert-Cao Jin, 6-0

 

Oitavos de final, esta 3.ª e 4.ª feira (hora de Lisboa, apurados a negro):

Mark Williams-Shaun Murphy, 5-6

Mark Selby-Jack Lisowski, 3-6

Ronnie O'Sullivan-Zhang Yi, 6-0

Kyren Wilson-Xiao Guodong, 6-4

Mark Allen-Liang Wenbo (4.ª feira, 7 horas)

Judd Trump- David Gilbert (4.ª feira, 7 horas)

John Higgins-Barry Hawkins (4.ª feira, 12.30 horas)

Neil Robertson-Ding Junhui (4.ª feira, 12.30 horas)

 

Quartos de final, quinta-feira (7 e 12.30 horas de Portugal continental):

Jack Lisowski-Shaun Murphy

Ronnie O’Sullivan-Kyren Wilson

Vencedor do jogo John Higgins/Barry Hawkins-Vencedor do jogo Neil Robertson/Ding Junhui

Vencedor do jogo Mark Allen/Liang Wenbo-Vencedor do jogo Judd Trump/David Gilbert

O FUTURO COM O NOSSO PASSADO


Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo de qualidade que se faz da grande história, da investigação e da grande reportagem – nós temos esse jornalismo (o jornalismo que fez com que se falasse de A BOLA como a Bíblia) para lhe continuar a dar.

Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo do texto criativo e sedutor e da opinião acutilante que não se faz de cócoras ou de mão estendida – nós temos esse jornalismo para lhe continuar a dar…

… e para nos ajudar a manter e a melhorar esse jornalismo sério e independente com o timbre de A BOLA,

Junte-se a nós nesse novo desafio ao futuro, tornando-se nosso assinante.

ASSINE AQUI

A Edição Digital de A Bola

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias