Imparável Trump conquista 10.º título da carreira no Grand Prix (10-6)

Snooker 10-02-2019 23:12
Por António Barroso

O inglês Judd Trump, de 29 anos, quinto do ranking, conquistou na noite deste domingo o décimo título da sua carreira em provas pontuáveis para o ranking da World Snooker, ao vencer o compatriota Allister (Ali) Carter, de 39 anos, 17.º da hierarquia, por 10-6, final do World Grand Prix, torneio da época 2018/19 do circuito profissional, que acabou neste dia no salão nobre do hipódromo de Cheltenham (Inglaterra), The Centaur.

 

O Ace in the Pack, de Bristol, estreou-se assim em triunfos no Grande Prémio Mundial, após vitórias no Open da China (2011 e 2016), UK Championship 2011, International Championship 2012, Open da Austrália 2014, Masters da Europa (2016 e 2017) e no Open da Irlanda do Norte (2018), este último já na presente temporada, em que também venceu o Masters (não pontuável para o ranking).

 

Pleno de vitórias na época para Judd em finais: três em três. Notável. Depois de triunfos ante Ronnie O’Sullivan em Belfast (9-7) e no Masters londrino (10-4) agora foi o captain, de Chelmsford, a não resistir a um Trump espetacular a atacar e muito maduro e ponderado a defender e jogar. Nos últimos três torneios que jogou, 11 vitórias e um único desaire (ante Stephen Maguire, 2-5, nos quartos de final do German Masters), e dois títulos conquistados: Masters e World Grand Prix.

 

Ali Carter tentava, na sua primeira final da temporada, um quinto título em provas de ranking - após triunfos no Open de Gales 2009, Xangai Masters 2010, German Masters 2013 e World Open 2016 – mas cedo se viu subjugado pelo rival, depois de início auspicioso, em que entrou na frente, a liderar por 1-0 e 2-1.

 

Mas uma centenária de Trump antes do intervalo da sessão da tarde (120 pontos) igualou a 2-2 e foi o prelúdio para quatro parciais de rajada para o jogador do momento, que no recomeço arrebatou três sem resposta para chegar a 5-2, antes de Ali Carter conseguir atenuar para 3-5 e conferir uma crucial importância à última partida da primeira sessão, com o 3-6 muito mais pesado para si do que um tangencial 4-5. Judd puxou dos galões e, tal como antes do intervalo, limpou a mesa para nova centenária (a sua segunda do jogo, e segunda da final), a selar vantagem a dobrar para a noite: 6-3.

 

Ali Carter voltou a mostrar fibra ao reduzir para 4-6 no reatamento, mas Trump recolocou de pronto a vantagem em três parciais (4-7), antes de o compatriota devolver emoção ao duelo com dois triunfos de rajada e encostar a 6-7, fazendo da 14.ª partida outro momento crucial do jogo. Mas três parciais de rajada Judd encerraram as hostilidades: Judd é justíssimo campeão do World Grand Prix, e, a jogar assim, sério candidato ao título mundial, em maio próximo, no Crucible.

 

O Grande Prémio Mundial, prova reservada ao top32 a um ano, atribuiu £375 mil (€428.263) de prémios, das quais £100 mil (€114.203) a Judd Trump (sucede a Ronnie O’Sullivan como campeão) e £40 mil (€45.682) ao vice-campeão, Ali Carter.

 

O World Grand Prix foi a primeira de três provas da Taça Coral. Seguem-se Players Championship, para o top16 a um ano (£125 mil, ou €142.754, para o campeão), de 4 a 10 de março, em Preston, Inglaterra) e o Tour Championship, de 19 a 24 de março em Llandudno, Gales (£150 mil, ou €171.305, para o vencedor), para os oito jogadores que mais amealharam nos últimos 365 dias.

 

O jogador que mais dinheiro ganhar no conjunto das três provas conquista a Taça Coral. Caso Judd Trump vença as outras duas, terá bónus de £125 mil (€142.754), a elevar o prémio global destes três torneios para £500 mil (€571.017): tanto quanto ganhará o campeão do mundo, a 6 de maio.

 

Williams à mesa já 2.ª: começa Open de Gales

 

Mas o snooker não pára. Sem pausas, e escassas 14 horas após o fim das hostilidades em Cheltenham, inicia-se o Open do País de Gales: 128 jogadores em ação na Motorpoint Arena, em Cardiff, torneio também transmitido para Portugal (EuroSport).

 

Ronnie O’Sullivan, Mark Selby, Judd Trump, Kyren Wilson, Mark Williams e o campeão em título, John Higgins (9-7 a Barry Hawkins na final de 2018) entram em ação na Motorpoint Arena, de segunda-feira a domingo, dias 11 a 17 do corrente, em mais uma prova da época 2018/2019 da World Snooker pontuável para o ranking.

 

Higgins, vice-campeão mundial nos últimos dois anos e tetracampeão mundial (1998, 2007, 2009 e 2011) estreia-se ante o compatriota Graeme Dott (campeão mundial em 2006) na segunda-feira, dia 11 do corrente mês (13 horas).

 

No dia seguinte, terça-feira, dia 12, e à mesma hora, Ronnie O'Sullivan entra em ação ante o tailandês Sanderson Lam. Já Mark Selby, joga terça-feira mas na sessão noturna (19 horas) ante o escocês Anthony McGill. Antes se estreará o campeão mundial e jogador da casa, Mark Williams, já na tarde de segunda-feira, dia 11 (14 horas) ante o compatriota galês Kishan Hirani.

 

O vencedor do Welsh Open amealha £70 mil (€79.943), o torneio distribui um total de £366 mil (€417.985) de prémios. John Higgins é o recordista de vitórias na prova, com cinco (venceu em 2018 e defende o título) mas o inglês Ronnie O'Sullivan tem quatro e pode igualar o escocês na edição do corrente ano. Mark Williams é o último galês a ter ganho em casa o torneio – um dos mais antigos do circuito, desde 1992 -, em 1996. 

 

Até aos oitavos de final, os jogos do Welsh Open são à melhor de sete parciais, com a vitória para o primeiro a vencer quatro (de 4-0 a possíveis 4-3).

 

Final do Grande Prémio Mundial, este domingo (campeão a negro):

Ali Carter-Judd Trump, 6-10

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias