André Silva responde a insinuação do treinador

Sevilha 14-05-2019 09:32
Por Nuno Perestrelo

«É claro que não ando a simular uma lesão», eis a primeira declaração de André Silva a A BOLA, reagindo às palavras do treinador do Sevilha, Joaquín Caparrós, segundo as quais as queixas físicas do avançado não são sinceras.

Avesso a polémicas, como fez questão de frisar ao longo da conversa com A BOLA, André Silva, 23 anos, diz estar de «consciência tranquila», recusando a ideia de terminar a época com o rótulo de mau da fita.


«Talvez a situação não tenha sido gerida da melhor forma, devia ter parado em dezembro, mas o Sevilha precisava de mim e eu também queria jogar. É uma lesão que me pode permitir jogar, com dores e limitações, mas se quiser recuperar totalmente tenho de parar. Quando fazia tratamento, as dores aliviavam, mas depois agravavam-se de novo. Nunca tinha saído de um treino até essa altura, mesmo com dores», lembrou, pronto a puxar dos galões: «O meu conceito de profissionalismo obriga a dedicação extrema ao clube, neste caso ao Sevilha. Quem me conhece e supostamente devia conhecer, sabe que eu quero ser sempre uma mais-valia. Tenho muito carinho pelos adeptos do Sevilha. Se ter uma lesão já incomoda, insinuações sobre este tipo de coisas, dizerem que eu posso jogar e não jogo… Ninguém me pode acusar de falta de profissionalismo, fico um bocado triste por porem em causa valores que muito prezo.»


Sem faturar desde 26 de janeiro, André Silva admitiu que ainda não voltou a estar com Joaquín Caparrós: «Não voltei a estar com o treinador, houve jogo e eu estive a fazer tratamento. Fiquei um bocado triste pela forma como foram interpretadas as palavras dele. Se em algum momento tivesse pensado exclusivamente em mim, se calhar não tinha parado este tempo todo, pois já teria resolvido o problema há uns meses. Vamos aprendendo, se voltasse atrás talvez tivesse parado logo.»

 

A final a quatro da Liga das Nações disputa-se em Portugal entre 5 e 9 de junho, mas Fernando Santos divulga a convocatória já dia 23. Com André Silva nos eleitos?

 

«Estou focado no tratamento, sei que a Seleção está ao virar da esquina. Todas as lesões são recuperáveis… Se recuperar por que razão não devo ir à Seleção? Se o selecionador me chamar e os médicos virem que estou bem…», adiantou, nada preocupado com possíveis reflexos negativos das palavras de Caparrós: «Não estou preocupado, o meu agente trata das coisas, as pessoas dos clubes em que joguei sabem que sou um grande profissional. Não admito que me apontem o dedo e digam que não tenho vontade de trabalhar.»

 

Cedido pelo Milan até final desta época, mostra-se tranquilo: «Não me arrependo de ter vindo para o Sevilha. Gosto da cidade, do clube, sinto-me bem aqui, são estas experiências novas que me fazem crescer. O meu futuro? Sou jogador do Milan.»

Leia mais na edição digital ou impressa desta terça-feira de A BOLA.

Ler Mais
Comentários (10)

Últimas Notícias