Venda do Chelsea concluída

INGLATERRA 25-05-22 8:23
Por Redação

O processo de venda do Chelsea está terminado, com o governo britânico a validar a operação e a passar o clube da posse de Roman Abramovich, alvo de sanções ligadas à invasão da Ucrânia, para um consórcio liderado pelo empresário americanoTodd Boehly.

O governo português  - consultado por Roman Abramovich ter passaporte português - deu parecer resolutivo sobre a concretização da transação e assim o executivo britânico emitiu a licença de venda.

Ao final da noite de terça-feira, a Premier League aprovou o takeover do Chelsea de 4,25 mil milhões de libras (4,9 mil milhões de euros), ficando apenas por ultimar a licença para a venda do clube, que estava s funcionar num regime de exceção até 31 de maio. 

«Dadas as sanções que aplicamos a quem esteja ligado a [presidente russo, Vladimir] Putin e à sangrenta invasão da Ucrânia, o futuro a longo prazo do clube só pode ser garantido com um novo proprietário», anunciou a ministra  Cultura, Média e Desporto britânica, Nadine Dorries.

«O governo não quer que Abramovich receba rendimentos da venda, que irão para uma conta bancária congelada para ser doado a instituições de caridade. Após um extenso trabalho, agora estamos convencidos de que os lucros totais da venda não beneficiarão Roman Abramovich ou qualquer outro indivíduo sancionado. Começaremos o processo de garantir que os lucros da venda sejam usados ??para causas humanitárias na Ucrânia, apoiando as vítimas da guerra. As medidas de hoje vão garantir o futuro do património cultural do clube e proteger os adeptos e a comunidade do futebol em geral», refere em comunicado um porta-voz do governo.

O consórcio escolhido é liderado por Boehly, mas a Clearlake Capital - uma empresa de capital privado - possuirá a maioria das ações do Chelsea. Outros investidores incluem o milionário americano Mark Walter, também co-proprietário do LA Dodgers, e o milionário suíço Hansjorg Wyss.