«Seleção é algo que falta à minha carreira»

ENTREVISTA 20-01-22 11:47
Por Rafael Batista Reis

Rui Fonte chegou à Amoreira no último dia de agosto depois de tomar a decisão, difícil, de deixar Braga. Mas sente que fez a escolha certa e só tece elogios à SAD. Fisicamente bem, voltou a jogar com regularidade e a marcar golos. Feliz e orgulhoso dos passos que deu, espera agora conduzir o Estoril à manutenção o mais depressa possível.

- Começou a época em Braga, mas no último dia de agosto é apresentado na Amoreira. Por que razão tomou a decisão de escolher o Estoril? Terá tido outros interessados em si...- A minha ideia inicial seria permanecer em Braga, mas já conhecia muita gente no Estoril. Foi decidido nos últimos dias porque eu e as pessoas mais próximas de mim, neste caso a minha família, achámos que faria sentido mudar. Somos de Lisboa e poder vir para um clube como o Estoril era uma oportunidade excelente. A SAD tem um rumo e uma ideia clara, sabe o que quer para o presente e futuro e o facto de entenderem que poderia vir ajudar a desenvolver esse projeto fez todo o sentido. Por isso, disse não a outras propostas. A sair teria de ser para um projeto do qual tivesse o maior conhecimento possível e só faria sentido sair de Braga para onde também pudesse ser feliz e o Estoril tem tudo o que idealizava.

- O Estoril está a fazer uma excelente temporada. O objetivo passa apenas pela manutenção ou o plantel já sonha com algo mais?- O nosso objetivo inicial é a manutenção, isso é claro. Estando ela assegurada poderemos falar de outros objetivos. Mas até isso estar conseguido, manter o Estoril mais um ano na Liga, nada mais interessa. Há algumas equipas, que até há uns jogos estavam mais em baixo, que estão agora a recuperar e estão muito perto. O campeonato está muito equilibrado do quinto ou do sexto lugares para baixo. O objetivo inicial será sempre a manutenção. Mas, claro, podemos sempre falar nos sonhos que todos os plantéis têm, que todas as equipas têm. Para sonhar não se paga! A nossa ambição, no entanto, passa por ir jogo a jogo e depois veremos onde acabamos. 

- Foi emprestado a Belenenses e a SC Braga - que depois o contrataria em definitivo - e acabou por chegar à Seleção Nacional. Recorda-se?- [sorri] Sim, claro!- Foi chamado a um jogo com a Sérvia, de qualificação para o Euro-2016, para substituir Cristiano Ronaldo. Só faltou mesmo a estreia.- Um dos objetivos de um jogador de futebol é jogar pela Seleção principal e, sim, isso é algo que ainda falta na minha carreira [acumulou 69 internacionalizações pelas seleções jovens].- A posição de ponta de lança é sempre um problema. Acredita que ainda pode cumprir esse sonho?- Vamos ver se ainda será possível.

Leia na íntegra na edição impressa ou digital de A BOLA.