Moretto travou Ronaldinho, Eto’o, Iniesta e Deco em 2006: «Não podem ter medo»

BENFICA 28-09-21 11:37
Por Nuno Reis

O dia 28 de março de 2006 ficou gravado na memória de Marcelo Moretto, mas não só... «Ainda no domingo estava a almoçar e foi um homem com o filho de seis ou sete anos à minha mesa, dizendo que eu fora guarda-redes do Benfica e jogara contra o Barcelona, que defendi um penálti de Ronaldinho Gaúcho», contou, sorrindo, o brasileiro de 43 anos, que se encontra atualmente em Portugal e vai trabalhando na área de agenciamento de jogadores.

«Foi um jogo bem difícil, foi um massacre do Barcelona, parecia uma peladinha, jogavam a passo e nós atrás deles. Criaram muitas oportunidades para marcar, mas eu estava numa noite feliz...», explica Moretto, que segurou o 0-0 da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões, permitindo ao Benfica sonhar em Camp Nou (derrota 0-2 na segunda mão).

Os tempos são outros, das duas equipas restam as camisolas e até Ronald Koeman está agora do lado contrário. Amanhã estará na Luz mas no banco do Barcelona. «Não me lembro bem do que ele nos disse antes daquele jogo, creio que foi para entrarmos e desfrutarmos, que os favoritos eram eles. Foi assim também quando jogámos contra o Liverpool», explica, sobre os oitavos de final, quando as águias afastaram os reds, então detentores da Liga dos Campeões.

«As coisas estão bem diferentes. Nunca o Benfica teve tantas chances de ganhar ao Barcelona como agora...»

Leia na íntegra na edição impressa ou digital de A BOLA.