«Jogadores que participem na Superliga ficam fora do Euro e do Mundial»

UEFA 19-04-21 2:21
Por Redação

Aleksander Ceferin, presidente da UEFA, foi contundente sobre a criação da Superliga europeia, avisando e sublinhando que os jogadores correm o risco de ficar impedidos de representar as seleções Nacionais.

«Os jogadores que participem nessa competição não poderão representar a seleção nem participar em Europeus e Mundiais. Todas as confederações estão de acordo nisso, temos do nosso lado as federações inglesa, espanhola, italiana, a FIFA», referiu Ceferin esta segunda-feira, dia em que foi anunciado o alargamento da Liga dos Campeões para 36 equipas. «Preparámos uma Liga dos Campeões moderna e atrativa, na qual todos podem participar e ganhar», referiu.

«A classificação para as competições europeias deve teve como base o mérito e que todos possam competir contra todos. Todos estamos contra este movimento», salientou.

Ceferin recusou que o movimento tenha avançado por causa da pandemia, como os clubes reclamam no comunicado de domingo: «Esta ideia não é de agora, já tem uns anos, não tem nada a ver com a Covid-19. Foi sendo cozinhada por pessoas como Florentino Pérez (presidente do Real Madrid) e Andrea Agnelli (presidente da Juventus). Isto tem a ver com a ganância de alguns. Confio nos clubes de França e Alemanha, que resistiram a esta tentação. Nem todo o futebol é corrupto.»

O dirigente garantiu ainda que a Champions poderá avançar sem os 12 clubes - Milan, Inter, Juventus, Arsenal, Liverpool, Chelsea, Manchester City, Manchester United, Tottenham, Atlético Madrid, Barcelona e Real Madrid: «Sim, claro, há muitos clubes bons na Europa. Vamos fazer a Liga dos Campeões com ou sem eles.»