Idanhense já garantiu a subida a Campeonato de Portugal em 2021/2022

DISTRITAIS 24-03-21 6:56
Por Eduardo Pedrosa Marques

O Clube União Idanhense já tem garantido o passaporte de acesso ao Campeonato de Portugal da próxima temporada. O histórico emblema, fundado em 1917, e que pertence ao distrito de Castelo Branco, beneficiou do cancelamento da 1.ª Divisão da Associação de Futebol de Castelo Branco – prova que tinha sido suspensa devido à pandemia de Covid-19 (a última jornada tinha sido jogada ainda antes do natal) – para marcar presença na competição nacional em 2021/2022.  

Trata-se de um regresso do Idanhense a esta realidade nacional, algo que já não acontecia há 14 anos. Na altura, o clube havia participado na já extinta III Divisão.

Aquando da interrupção do campeonato da 1.ª Divisão distrital da AF Castelo Branco, o Idanhense liderava a prova, com 18 pontos. Os raianos, como são conhecidos, tinham entrado a todo o gás na presente época, tendo vencido os seis primeiros jogos, marcando, no total, 18 golos e sofrendo apenas 4. A única derrota (0-8) aconteceu frente ao Torreense, na II eliminatória da Taça de Portugal. 

A BOLA esteve à conversa com Vasco Guerra, treinador do Idanhense, que, ao que tudo indica, deverá manter-se no cargo na próxima temporada. Com isso, o jovem técnico, de apenas 38 anos, poderá também estrear-se no Campeonato de Portugal. Apesar de reconhecer um sabor agridoce, uma vez que preferia ter conquistado esse direito dentro do campo, Vasco Guerra não esconde que subir de divisão era o objetivo delineado. 

«Desde o início da época que tinha falado com a equipa sobre a possibilidade de o Campeonato não chegar ao fim pelas razões conhecidas e que estão relacionadas com a situação do estado pandémico em que vivemos. Como tal, tinha-lhes dito que havia a possibilidade de a competição ser suspensa ou, até mesmo, cancelada, algo que, infelizmente, veio a acontecer, e nesse sentido teríamos que entrar muito fortes nos primeiros jogos para podermos garantir alguma diferença pontual em relação aos nossos adversários. Acabou por acontecer tudo isso e vencemos os seis primeiros jogos. Por essa razão, e como estávamos no primeiro lugar da tabela, fomos o clube indicado pela AF Castelo Branco para subir ao Campeonato de Portugal em 2021/2022. Se me pergunta se fiquei feliz, honestamente digo-lhe que não. Claro que é bom pensar que vamos estar nos nacionais na próxima época, sem dúvida, mas também não ficaria bem com a minha consciência se não lhe dissesse que preferia que garantíssemos esse objetivo dentro do campo, jogando e tentando ser superiores aos nossos adversários. Como tal, nem sequer podemos falar de um festejo, foi apenas um objetivo cumprido». 

Desafiado a projetar o futuro, Vasco Guerra, que enquanto jogador representou Benfica e Castelo Branco, Salgueiro do Campo, Unhais da Serra, Pedrógão de São Pedro, Penamacorense e Águias do Moradal, pretende uma campanha marcada pela estabilidade. «Trata-se de um projeto aliciante, tanto para o clube como também para mim, enquanto treinador, e que nos permitirá evoluir defrontando equipas com outros argumentos. É necessária uma aposta séria, precisamos de apoios, e se assim for tenciono que o Idanhense possa fazer uma época tranquila e que alcance a permanência», confidenciou o técnico dos raianos, que também é professor de Educação Física em Idanha-a-Nova.