Sem Oleg, Pepa deu asas a Fernando Fonseca

PAÇOS DE FERREIRA 26-02-21 9:46
Por Pedro Cadima

É caso para dizer que, entre muitos ingredientes supremos numa equipa que convive com proezas várias, o protagonismo defensivo virou de flanco. Foi assumido por Fernando Fonseca. E virou de flanco, olhando à transferência de Oleg para o Olympiakos no final do ano. O lateral-esquerdo moldavo, que rendeu cerca de 2,5 milhões de euros ao Paços, foi o grande destaque dos castores nos primeiros meses, acabando por se valorizar extraordinariamente em 13 jogos com dois golos. A saída de Oleg foi eficazmente solucionada com Uilton e com o reforço Rebocho, qualquer um deles consistente.

Mas Pepa percebeu que sem os raides e rasgos de Oleg, era hora de injetar semelhante vertigem e velocidade no corredor oposto, promover calafrios no adversário com agressividade lateral vinda de trás. Fernando Fonseca começou com algumas dificuldades, foi suplente utilizado nas primeiras duas jornadas, mas foi ganhando clarividência defensiva e profundidade com o passar do tempo. A preferência de Pepa em desequilibrar pela esquerda com Oleg saltou a partir da sua saída para a direita, dando asas a um já consolidado e confiante Fernando Fonseca. O lateral-direito formado no FC Porto tem respondido de forma excelente com uma desenvoltura e competitividade que o colocam, agora, no rol de imprescindíveis. Pepa foi também aqui meticuloso a acomodar as virtudes do seu jogador, deixando correr um necessário processo de confiança, a  chave para um notável crescimento exibicional.

Leia o artigo completo na edição impressa ou digital de A BOLA.