Hamilton arranca à frente na Rússia

FÓRMULA 1 26-09-20 2:26
Por José Caetano

Lewis Hamilton soma e segue, dominador, no Mundial de Fórmula 1. O piloto da Mercedes-AMG, no Autódromo de Sochi, assegurou a ‘pole position’ para o Grande Prémio da Rússia, ronda 10 do campeonato de 2020. O britânico de 35 anos somou a 96.ª primeira posição na grelha de partida em 260 corridas na categoria – um recorde! – e oitava da temporada em 10 provas (falhou apenas no arranque da época, na Áustria, e na etapa que comemorou os 70 anos da disciplina, em Silverstone) com a volta mais rápida de sempre ao circuito com 5,848 km no Parque Olímpico da cidade russa na margem do Mar Negro: 1.31,304 m.

 

Amanhã, no 7.º Grande Prémio da Rússia em Sochi (a corrida de 53 voltas tem arranque marcado para as 12h10, horas de Portugal continental), Lewis Hamilton perseguirá a 5.ª vitória na prova, a 7.ª em 2020 e, muito mais importante, a 91.ª no Mundial de Fórmula 1. Conseguindo-a, igualará o melhor registo de todos os tempos, ainda na posse do alemão Michael Schumacher.

 

No Sochi Autodrom, com 30.000 espectadores nas bancadas, um recorde em 2020, Lewis Hamilton dividirá a primeira linha da grelha de partida com Max Verstappen. O holandês da Red Bull-Honda conseguiu o segundo melhor registo da qualificação, a mais de meio segundo do britânico de 35 anos, mas à frente de Valtteri Bottas, que venceu na Rússia em 2017 após arranque da… terceira posição, facto que representa um estímulo adicional para o finlandês da Mercedes-Benz, necessitado de pontos para relançar a candidatura ao título mundial – atualmente, é segundo do Mundial, a 65 pontos do companheiro de equipa.

 

Os Ferrari também somam e seguem, mas no capítulo das deceções. O ano passado, Charles Leclerc arrancou da ‘pole position’ em Sochi e terminou a corrida na 3.ª posição, atrás de Hamilton e Bottas. Hoje, o piloto monegasco da Scuderia escapou, miraculosamente, à eliminação no primeiro segmento da qualificação, mas ‘saiu de cena’ no segundo, depois de marcar apenas o 11.º tempo. O alemão Sebastian Vettel comportou-se ainda pior, com o 15.º registo na Q1 e despiste na Q2, na curva 4, que obrigou à exibição de uma bandeira vermelha que parou a sessão, por isso iniciando o grande prémio na 15.ª posição, atrás do Williams-Mercedes de George Russell.

 

O incidente com Vettel prejudicou a qualificação de Hamilton, pois impediu-o de realizar uma segunda volta rápida na Q2. Por esse motivo, amanhã, na corrida, o piloto do F1 W11 #44 iniciará o grande prémio com os pneus mais macios da Pirelli, enquanto os rivais contarão com compostos médios – teoricamente, britânico em desvantagem. E, assim, promessa de mais competição e emoção!

Classificação e grelha de partida provisória:

1.º Lewis Hamilton, Mercedes-AMG, 1.31,304 m

2.º Max Verstappen, Red Bull-Honda, +0,563 s

3.º Valtteri Bottas, Mercedes-AMG, +0,652 s

4.º Sergio Pérez, Racing Point-Mercedes, +1,013 s

5.º Daniel Ricciardo, Renault, +1,060 s

6.º Carlos Sainz Jr., McLaren-Renault, +1,246 s

7.º Esteban Ocon, Renault, +1,320 s

8.º Lando Norris, McLaren-Renault, +1,543 s

9.º Pierre Gasly, AlphaTauri-Honda, +1,696 s

10.º Alexander Albon, Red Bull-Honda, +1,704 s

(eliminados na Q2)

11.º Charles Leclerc, Ferrari, 1.33,239 m

12.º Daniil Kvyat, AlphaTauri-Honda, 1.33,249 m

13.º Lance Stroll, Racing Point-Mercedes, 1.33,364 m

14.º George Russell, Williams-Mercedes, 1.33,583 m

15.º Sebastian Vettel, Ferrari, 1.33,609 m

(eliminados na Q3)

16.º Romain Grosjean, Haas-Ferrari, 1.34,592 m

17.º Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo-Ferrari, 1.34,594 m

18.º Kevin Magnussen, Haas-Ferrari, 1.34,681 m

19.º Nicholas Latifi, Williams-Mercedes, 1.35,066 m

20.º Kimi Räikkönen, Alfa Romeo-Ferrari, 1.35,267 m