Inglaterra louca por Marcus Edwards

VITÓRIA DE GUIMARÃES 13-07-20 11:15
Por Pedro Cadima

Marcus Edwards é um talento puro, que brilha em Guimarães. Cintila a cada jogo, emerge contra o marasmo e não perde regularidade com fantasia. Egoísmo, algum, também! Marca trazida de Inglaterra, que foi arrefecendo alguma euforia em seu redor, mais acesa quando Pochettino lhe colocou o carimbo de «mini-Messi».

A jogada desenhada por Edwards diante do Gil Vicente, que serviu para adiantar a equipa antes do colapso, voltou a entupir canais e a espalhar clamor em páginas inglesas, sobretudo, em fóruns afetos ao Tottenham, já que o extremo fez toda a formação nos Spurs e foi sempre considerado uma das maiores promessas em White Hart Lane. Apesar de ter permitido a saída do seu diamante a custo zero, o Tottenham reservou para si 50 por cento de direitos numa futura transferência e na cidade-berço cogita-se uma inevitável saída do inglês, cobiçado no seu país, havendo curiosas associações ao Tottenham, disposto a corrigir uma asneira, apesar dos €15 milhões com que o Vitória blindou o craque, campeão europeu sub-19 em 2017. Os adeptos do Tottenham continuam incrédulos com esta dispensa e o clube londrino pode tentar resgatar o jogador, embora o Manchester United tenha já indiciado intenções de avançar.

Edwards refinou quase tudo em Portugal, moderou o temperamento e o instinto individualista, após ter passado pelos holandeses do Excelsior sem tanto burburinho. Os oito golos em 33 jogos espelham bem a grandeza do seu contributo. Segue-se a visita à Luz, num jogo que pode relançar a Europa ou liquidar a esperança. Ivo Vieira já percebeu que não pode prescindir de Edwards e melhor o percebeu com o Gil Vicente, já que com a sua saída o Vitória perdeu total rasgo para atacar a baliza adversária. E o inglês sabe que uma grande exibição contra o Benfica pode muito bem acender firmes paixões em Inglaterra.