Luís Reforço com termo de identidade e residência

ARBITRAGEM 24-06-20 9:1
Por Redação

O árbitro Luís Reforço, 45 anos, foi ontem ouvido no Tribunal de Instrução Criminal, no Campus da Justiça, em Lisboa, e, segundo a TVI, após seis horas de interrogatório, ficou em liberdade com termo de identidade e residência, proibição de contacto com os outros arguidos e de entrada na Alfândega e espaços reservados nos aeroportos. Pode ainda continuar a trabalhar na Autoridade Tributária (AT), mas apenas com outras funções.

O árbitro da Associação de Futebol de Setúbal (desceu à segunda categoria no final da época passada), foi um dos 14 funcionários da AT no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, que foi detido pela PSP na sequência de investigação por peculato e falsificação de documentos.Entretanto, a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) reagiu em comunicado, vincando que o caso (que já levou a que fossem constituídos outros 13 arguidos, além dos 14 detidos) «em nada se confunde com a arbitragem» e que «os alegados factos não têm qualquer relação» com a atividade de Luís Reforço «enquanto árbitro», mas sim enquanto «funcionário público».