Corona e Marcano em risco para Alvalade

FC PORTO 15-12-19 12:3
Por Rui Amorim

O FC Porto quer fechar da melhor forma o ano de 2019 na Liga, desejo que se projeta sobre a receção ao Tondela, segunda-feira à noite. Neste encontro da 14.ª jornada os dragões procuram manter distâncias para a liderança perante um visitante que, na Invicta, se estreou a vencer antes de perder os três jogos seguintes, sem qualquer golo marcado.

Para lá desta mera satisfação estatística, os azuis e brancos veem, aqui, a oportunidade de se redimir do deslize da última ronda do campeonato - empate (1-1) com o Belenenses, na deslocação ao Estádio do Jamor. Desafio que se coloca no aconchego da sua casa e do seu público, estimulados pela recente vitória internacional, diante do Feyenoord, a conferir o 1.º lugar do grupo e consequente acesso aos 16 avos de final da Liga Europa.

No reino das curiosidades mora outro dado estimulante, na perspetiva portista, capturando proveitos significativos no pós-Europa desta época. Realidade que se constrói com base nos seis triunfos em sete partidas - só o desaire na abertura da Liga, em Barcelos, destoa neste registo. Ao qual se junta saldo poderoso, na diferença entre 18 golos marcados (nunca ficou em branco) e apenas dois sofridos (um exclusivo do Gil Vicente).

Entre tantos protagonistas, Corona e Marcano deram sério contributo para essa linha de sucesso. Mas, para lá dos predicados e feitos de cada um, extremo e central abordam o duelo com os beirões cientes do risco que envolve a sua participação neste jogo: a dupla soma quatro amarelos no campeonato e outro cartão significará ausência certa na jornada seguinte, em Alvalade, frente ao Sporting.

Nada que preocupe Sérgio Conceição, imaginando a aposta num onze no qual não abdicará, seguramente, das principais figuras. E tanto Marcano (32 anos) - é o mais utilizado do plantel, com 1890 minutos de competição - como Corona (26 anos) - quinto da lista, com 1776 minutos nas pernas - fazem parte desse lote. Assim sendo...