Competições Europeias dos Clubes de Basquetebol Profissional (artigo de Eduardo Monteiro, 46)

ESPAÇO UNIVERSIDADE 30-10-19 3:0
Por Eduardo Monteiro

Actualmente, o basquetebol profissional na Europa, possui em actividade  várias centenas de clubes nas competições nacionais dos diversos países, dos quais cerca de uma centena também estão envolvidos em provas de âmbito europeu. A participação nas competições do velho continente implica, à partida, pertencer à elite dos clubes europeus (42) quando se trata das provas geridas pela Euroleague Basketball (Euroleague e Eurocup). Em relação às provas organizadas pela FIBA Europa (Champions League e Europe Cup) é necessário ter sido campeão nacional ou 2º classificado no respectivo campeonato podendo, ainda, haver outras presenças em função do ranking europeu das respectivas selecções nacionais de seniores.

Turkish Airlines Euroleague

Esta época desportiva (2019/2020) é a 20ª da era moderna organizada pela Euroleague Basketball que, há duas décadas, assumiu a gestão da prova e deu continuidade à habitual Taça dos Clubes Campeões Europeus, então promovida pela Federação Internacional de Basquetebol (FIBA). O actual quadro competitivo passou a englobar mais duas equipas em relação ao do ano passado e continua a ser patrocinada, pelo 10º ano consecutivo, pela companhia aérea Turkish Airlines. A Euroliga é a competição de maior qualidade e prestígio a nível mundial, logo a seguir à NBA, pelo facto dela fazerem parte os melhores clubes europeus de basquetebol: Barcelona, Baskonia Vitoria, Real Madrid e Valencia Basket (Espanha), CSKA Moscovo, Khimki de Moscovo e Zenit St. Petersburgo (Rússia), Anadolu Efes e Fenerbahce de Istambul (Turquia), Olympiacos Pireu e Panathinaikos Atenas (Grécia), Alba Berlim e Bayern Munique (Alemanha), Crvena Belgrado (Sérvia), Olimpia Milão (Itália), Asvel Villeurbanne (França), Maccabi Tel Aviv (Israel) e Zalgiris Kaunas (Lituania).

O sistema competitivo começa com uma fase regular  (1 jogo semanal)  em que todas as equipas realizam (34 jogos) entre si (casa e fora), no período de 3.Out.2019 a 10.Abr.2020. Os primeiros oito classificados da fase regular são apurados para a fase seguinte que é disputada no sistema de playoffs a eliminar à melhor de cinco jogos. Os quatro vencedores destas eliminatórias ficam apurados para a derradeira fase, denominada “Final Four”, a efectuar de 22 a 24 de Maio de 2020, na Lanxess Arena na cidade de Colónia (Alemanha).

7DAYS Eurocup

A Eurocup também é organizada pela Euroleague Basketball e é a segunda liga mais competitiva de clubes profissionais de basquetebol de âmbito europeu, na medida em que nela participam equipas que já competiram na Euroliga ou que ambicionam conseguir os requisitos necessários para o fazer. O número total de clubes participantes é de 24  o que implica, numa primeira fase, um sistema competitivo apropriado em que as equipas são agrupadas em 4 grupos de 6 equipas cada, por sorteio condicionado à não inclusão de equipas do mesmo país no mesmo grupo.

Grupo A – Virtus Bolonha (Itália), Promitheas Patras (Grécia), AS Monaco (França), MoraBanc Andorra (Espanha), Maccabi LeZion (Israel), Ratiopharm Ulm (Alemanha).

Grupo B – Partizan Belgrado (Sérvia), Lokomotiv Kuban (Rússia), Limoges Elite (França), Umania Veneza (Itália), Tofas Bursa (Turquia), Lietuvos Rytas (Lituania).

Grupo C – Darussafaka (Turquia), Joventud Badalona (Espanha), Unics Kazan (Rússia), Germani Brescia (Itália), Nanterre 92 (França), Olimpia Ljubljana (Eslovénia).

Grupo D – Unicaja Malaga (Espanha), Galatasaray Istambul (Turquia), Dolomiti Trento (Itália), Asseco Gdynia (Polónia), Buducnost Voli (Montenegro), Baskets Oldenburg (Alemanha).

Sistema de competição:

Regular Season

Nesta fase inicial (2.Out. a 18.Dez. de 2019) as 6 equipas de cada grupo jogam entre si (casa e fora), apurando as quatro primeiras classificadas, por grupo, para uma segunda fase denominada Top 16.  

Top 16

As 16 melhores formações são distribuídas por quatro grupos de 4 equipas que, no período entre 8 de Jan. e 4 de Mar. 2020, disputam entre si o apuramento das 2 melhores formações de cada grupo que avançam para os quartos de final.

Quartos de final

Os quartos de final, realizam-se de 17 a 25 de Março entre as 8 equipas apuradas na fase anterior, em sistema de playoffs, através de uma eliminatória à melhor de 3 jogos.

Semi-finais

As quatro equipas vencedoras dos quartos de final disputam as meias finais, igualmente em sistema de playoffs, numa eliminatória à melhor de 3 jogos (31 de Março a 8 de Abril).

Final

As duas equipas finalistas disputam à melhor de 3 partidas  (21 a 27 de Abril de 2020) o título de campeão da “7DAYS Eurocup.

FIBA Basketball Champions League

A Basketball Champions League, da responsabilidade organizativa da FIBA Europa, deu início à sua quarta época desportiva e é considerada como a terceira competição europeia de clubes (Divisão III). Teve como vencedores nos anos anteriores a equipa espanhola do Iberostar Tenerife (2016-17) que na final venceu a formação turca do Banvit Bandirma por 63-59, a equipa grega do AEK BC (2017-18) que no encontro decisivo derrotou os franceses do AS Monaco por 100-94 e os italianos do Virtus de Bolonha (2018-19) que na final superaram a equipa espanhola do Iberostar Tenerife por 73-61, vencedora na época inaugural.

Inscreveram-se 48 equipas, em que após algumas serem sujeitas a duas fases de qualificação, ficaram reduzidas a 32 formações que competirão na fase regular, sendo os não apurados enviados para a competição da FIBA Europe Cup. Como por exemplo, o nosso representante o Sport Lisboa e Benfica que na 1ª fase eliminou o clube holandês Donar Groningen por (161—141) no conjunto dos dois encontros, tendo sido posteriormente eliminado (2ª fase) pelos montenegrinos do KK Mornar Bar (150-167), pelo que está a participar na competição europeia FIBA Europe Cup (Divisão IV).

As 32 equipas apuradas para a fase regular foram divididas em quatro grupos, cada um com oito equipas:

Grupo A – SIG Estrasburgo (França), Baxi Manresa (Espanha), Turk Telecon (Turquia), Dinamo Sassari (Itália), BC Lietkabelis (Lituania), Unet Holon (Israel), Polski Torun (Polónia), Flou Oostende (Bélgica).

Grupo B – AEK Atenas (Grécia), San Pablo Burgos (Espanha), Rasta Vechta (Alemanha), Hapoel Jerusalem (Israel), Teksut Bandirma (Turquia), Anwil Wloclawek (Polónia),  Giants Antwerp (Bélgica), Pau Orthez (França).

Grupo C – Era Nymburk(R. Checa), Iberostar Tenerife (Espanha), VEF Riga (Letónia), Peristeri Winmasters (Grécia), Mornar Bar (Montenegro), Gaziantep Basketbol (Turquia), Nizhny Novgorod (Rússia), Brose Bamberg (Alemanha).

Grupo D – JDA Dijon (França), Baskets Bonn (Alemanha), Basketball Neptunas (Lituânia), Besiktas Sigorta (Turquia), PAOK (Grécia) , Casa Brindisi (Itália), Casademont Zaragoza (Espanha) , Falco Vulcano (Hungria).

Sistema de competição:

Fase regular

As oito equipas de cada grupo jogarão todas entre si (casa e fora), no período de 15 de Outubro de 2019 a 5 de Fevereiro de 2020, para apuramento das quatro primeiras classificadas por grupo, num total de 16 que irão disputar a Round 16.

Round  16

Nesta fase que decorrerá entre 3 e 18 de Março de 2020, participam 16 equipas que em sistema de playoffs disputarão uma eliminatória (à melhor de 3 encontros), sendo apuradas oito formações que seguem para os quartos de final.

Quartos de final

Os quartos de final com a participação de 8 equipas, efectuam-se também em sistema de playoffs, através de uma eliminatória (à melhor de 3 jogos), entre 24 de Março e 8 de Abril, para apuramento das 4 equipas que irão participar na final four da prova.

Final Four

A Final Four será disputada de 1 a 3 de Maio no recinto de um dos 4 clubes finalistas.

FIBA Europe Cup

Nesta liga estão a evoluir os clubes profissionais de basquetebol que, do ponto de vista desportivo, ainda não reúnem condições para competir na Champions League. A participação nesta prova proporciona a aquisição de alguma experiência competitiva a um patamar mais elevado. No entanto verificamos que as diferentes equipas estão repletas de estrangeiros o que, à partida, não favorece a valorização dos atletas nacionais que não vão ter muito espaço de manobra para a aquisição da maturidade necessária para, em termos futuros, poderem entrar nas convocatórias das respectivas selecções nacionais.

Grupo A

SL Benfica (Portugal), Inter Bratislava (Eslováquia), PVSK Veolia (Hungria),     ZZ Leiden (Holanda).

Grupo B

Keravnos Basket (Chipre), Kapfenberg Bulls (Áustria), Ironi Ness Ziona (Israel), Landstede  Zwolle (Holanda).

Grupo C

Ventpils Basket (Letónia), Sigal Prishtina (Kosovo) , Apoel Nicosia (Chipre), Medi Bayreuth (Alemanha).

Grupo D

Fribourg Olympic (Suiça), CSM Oradea (Roménia), BC CSU Sibiu (Roménia), Bahcesehir College (Turquia).

Grupo E

Donar Groningen (Holanda), Spirou Chaeleroi (Bélgica) , Pinar Karssiyaka (Turquia), Phoenix Brussels (Bélgica).

Grupo F

Tsmoki-Minsk (Bielorrússia) , BC KYIV Basket (Ucrânia), BC Dnipro (Ucrânia), BC Levski-Lukoil (Búlgaria).

Grupo G

Cluj Napoca (Roménia), BC Balkan (Búlgaria), Enisey Krasnoyarsk (Rússia), Sodertalje (Suécia).

Grupo H

Legia Warszawa (Polónia), Egis Kormend (Hungria), Bakken Bears (Dinamarca), Kataja Basket (Finlandia).

Sistema competitivo:

Regular Season

Participam 32 equipas distribuídas por oito grupos de 4 equipas que jogam entre si (a partir de 22.Out.2019), para apuramento dos 1ºs e 2ºs classificados de cada grupo, num total de 16 formações.

Second Run

As 16 formações apuradas são divididas por quatro grupos de 4 equipas que jogam uns com os outros (a partir de 11.Dez.2019), para apuramento dos 2 primeiros classificados de cada grupo, num total de 8 clubes.

Quartos de final

Jogos de eliminatória directa (4 Março 2020) entre as oito equipas apuradas.

Semi-finais

Jogos de eliminatória directa (25 Março 2020) entre as 4 equipas apuradas.

Final

Jogo de disputa do título (22 Abril 2020) entre os dois clubes finalistas.

Considerações finais

A “Euroleague Basketball” e a “FIBA Europa”, cada uma na sua área de intervenção, prestam um bom contributo aos clubes profissionais de basquetebol do continente europeu, atendendo a que um total de 106 clubes (18 na Euroliga, 24 na Eurocup, 32 na Champions e 32 na Europe Cup) têm a oportunidade de participar nas fases regulares das respectivas competições internacionais no espaço europeu.

A Euroliga e a Eurocup englobam os 42 melhores clubes do basquetebol da Europa que, não é por acaso, representam os países melhor posicionados no respectivo ranking continental:  1º Espanha (7 clubes), 2º França (4 clubes), 3º Sérvia (2 clubes), 4º Grécia (3 clubes), 5º Lituania (2 clubes), 6º Rússia (6 clubes), 8º Itália (4 clubes), 9º Polónia (1 clube), 11º Turquia (5 clubes), 12º Eslovénia (1 clube), 13º Alemanha (4 clubes), 14º Montenegro (1 Montenegro) e 22º Israel (2 clubes).

A Liga dos Campeões é uma competição que, em princípio, deveria ser destinada aos clubes que conquistaram os títulos nacionais nos países que não têm acesso às provas da “Euroliga” e “Eurocup”. No entanto, a exemplo do que se passa no futebol (UEFA) a FIBA Europa entendeu submeter as equipas campeãs nacionais a eliminatórias prévias de apuramento em benefício de equipas de segundo plano dos países que estão no topo do ranking europeu. Essa decisão fez com que a maioria dos clubes que conquistaram os títulos nacionais fossem relegados para a “Europe Cup”, atendendo a que somente os campeões da Bélgica, Hungria, Letónia e R.Checa asseguraram a participação na fase regular na Liga dos Campeões. Os líderes nacionais da Áustria, Bielorrússia, Bulgária, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Finlandia, Holanda, Kosovo, Portugal, Roménia, Suécia, Suiça e Ucrânia tiveram que se contentar com a participação na prova equivalente à “IV Divisão Europeia”.

O critério adoptado pela FIBA Europa, à semelhança do que se passa no futebol (UEFA) não me parece o mais aconselhável pelas seguintes razões:

1ª - Impedir as equipas que conquistaram os títulos nacionais de entrar directamente na fase regular da Liga dos Campeões é desvalorizar a mais popular, publicitada e competitiva prova nacional de clubes em metade dos países europeus;

2ª – Organizar uma Liga dos Campeões com 27 equipas, que não são campeãs de coisa nenhuma e, ainda por cima, são oriundas dos mesmos países que já estão representados nas duas principais competições profissionais europeias (Euroliga e Eurocup), não é desenvolver o basquetebol de forma equilibrada no contexto europeu;

3ª – Pretender aplicar ao basquetebol profissional europeu o mesmo sistema competitivo em vigor no futebol (UEFA) só serve para cavar um fôsso, cada vez maior, entre os clubes dos países ricos e países pobres;

4ª – Permitir a invasão indiscriminada dos clubes da Europa por jogadores não europeus, significa desperdiçar os recursos necessários para a valorização dos praticantes jovens formados no velho continente.

Eduardo Monteiro é ex-treinador do SL Benfica e das Seleções Nacionais