Fastjet suspende voos em Moçambique

MOÇAMBIQUE 22-10-19 2:13
Por Alexandre Zandamela, Maputo

A companhia aérea Fastjet, que iniciou voos domésticos no espaço aéreo moçambicano em Novembro de 2017, operados pela Solenta Aviation Mozambique, anunciou, esta segunda-feira, que vai suspender suas operações a partir da meia-noite de sábado próximo, depois de reportar prejuízos na ordem de mais de dois milhões de dólares nos primeiros seis meses deste ano.

A suspensão inclui todos os voos, incluindo os de acordo de partilha de códigos com as Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) para Maputo, Tete, Beira e Quelimane.

«Os clientes que realizaram reservas em voos terão direito a um reembolso total do valor», diz uma nota de imprensa da Fastjet, uma companhia conhecida por praticar preços relativamente baixos.

A companhia explica que a decisão de suspender os serviços das rotas seguiu uma revisão abrangente de todos os serviços oferecidos em Moçambique.

«A decisão de suspender os serviços só foi tomada após uma revisão considerável, principalmente devido ao compromisso significativo da “Fastjet” com Moçambique nos últimos dois anos. Mas o excesso de oferta contínua de assentos disponíveis por outras transportadoras em todas as rotas e o impacto financeiro negativo significa que, infelizmente, essa é uma decisão que tivemos que tomar», esclarece.

A companhia informa que só retomará as suas operações em Moçambique quando a demanda geral por viagens aéreas no país aumentar significativamente, em comparação com a capacidade fornecida, para permitir a viabilidade financeira a longo prazo.

«Lamentamos a inconveniência que isso possa ter sobre os nossos valiosos clientes em Moçambique, e queremos garantir que eles serão totalmente reembolsados. Também gostaríamos de reconhecer o tremendo apoio que a Fastjet sempre teve das autoridades e dos nossos parceiros de viagem em Moçambique», realça.