Risco de pobreza no nível mais baixo desde que há registo

PAÍS 17-10-19 7:42
Por Redação

Em 2017, o risco de pobreza atingia 17,3% dos residentes em Portugal, a taxa mais baixa desde que este indicador é considerado.

Em 2003, cerca de 1/5 dos habitantes estavam abaixo do limiar da pobreza, avança a edição do Diário de Notícias desta quinta-feira.

Segundo dados divulgados pela Pordata, base de dados sobre Portugal contemporâneo com estatísticas oficiais e certificadas sobre o país e a Europa, o risco de pobreza desceu quase todos os anos, desde 2003, salvo durante o período da troika: em 2013 e 2014, quando este indicador abarcava 19,5% da população.

O número de beneficiários de RSI (Rendimento social de inserção) atingiu em 2018 o valor mais baixo desde 2006, com 282 mil beneficiários. Destes, metade são mulheres (51,3%) e dois em cada cinco têm menos de 25 anos.

Correm o risco de pobreza aqueles cujos rendimentos fiquem abaixo do limiar da pobreza. É considerado pobre quem tem um rendimento mensal inferior a 460 euros.

Ainda assim, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou que «quase dois milhões de portugueses são pobres», em nota colocada na página oficial da Presidência da República a propósito do Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, que se assinalou esta quinta-feira.

No entanto, as crianças continuam a ser o grupo em maior risco de pobreza em Portugal, com uma taxa de 19% entre os 0 e os 18 anos, ou seja, cerca de 300 mil crianças e jovens.