«O Brasil não está preparado para o sucesso de Jorge Jesus e nem de ninguém»

BRASIL 08-10-19 2:35
Por Bruno Andrade

Líder isolado do Brasileirão, com cinco pontos a mais que o Palmeiras, e a um passo de atingir a final da Taça Libertadores. Jorge Jesus, de facto, vive um momento especial no Flamengo. Nada que venha a causar surpresa para Luisão, que trabalhou com o treinador português no Benfica, entre 2009 e 2015.«É um treinador extremamente rigoroso e defende a todo custo a própria opinião, e isso faz com que os seus jogadores cresçam. Transforma jogador mediano em bom. Acredita e aposta muito no que faz, e os jogadores de maneira alguma conseguem passar por cima dele. Felizmente, levou também muito conhecimento aqui da Europa. O brasileiro precisa compreender que não é perfeito em tudo. O ego do brasileiro é muito grande, falta humildade para tirar proveito daquilo que vem de fora», criticou o antigo central dos encarnados, em entrevista ao site Goal.com.«O Brasil não está preparado nem para o sucesso do Jorge Jesus e nem para o sucesso de ninguém, seja de dentro ou de fora. Nós, brasileiros, procuramos sempre encontrar os defeitos dos nossos próprios ídolos, queremos sempre jogar eles para baixo. O brasileiro tem dificuldade de aceitar o sucesso das pessoas, ainda mais se o sucesso é de quem vem de fora. Lembro-me, por exemplo, de muita gente no Brasil a falar mal do Jorge Jesus, e ele tinha acabado de chegar. Faltou a humildade de dizer: venha, seja bem-vindo, mostra o que você tem para nós e depois fazemos uma avaliação. O brasileiro parou no tempo naquilo que é o desenvolvimento», completou.Para Luisão, hoje embaixador internacional do emblema da Luz, é fácil notar tudo o que JJ já implantou no Rubro-Negro em tão pouco tempo.«Conseguiu colocar a responsabilidade que o jogador precisa ter para compreender o jogo. Fez isso no Benfica, e está a fazer isso no Flamengo», destacou o brasileiro, a lembrar ainda de uma passagem curiosa logo nos primeiros dias de trabalho do treinador português na Luz.«Assim que Jorge Jesus chegou ao Benfica, chamou-me e disse: "Luisão, se eu estivesse em outro clube, não pediria a sua contratação". Eu olhei para ele e pensei: o que quer dizer com isso? Então ele completou: "Agora você vai jogar assim, assim e assim, agora você vai entender o jogo". Na altura, eu já era experiente [29 anos] e estava na seleção brasileira, então julgava que já entendia o jogo. Depois dessa conversa, fui para casa e, ao refletir, resolvi acreditar na palavra dele. E a realidade foi exatamente essa, passei a entender cada vez mais o jogo. Não é simplesmente jogar à bola, é jogar futebol», finalizou.