«Ouvi dizer que se não fosse o Renan tínhamos levado uma cabazada com o PSV, mas isso não é verdade»

SPORTING 22-09-19 1:45
Por Redação

Leonel Pontes fez, este domingo, a antevisão ao jogo com o Famalicão, onde recordou o jogo da Liga Europa que o Sporting perdeu com o PSV Eindhoven, por 2-3.

«Falou-se um pouco do jogo do PSV, mas se fizerem uma análise profunda ao que foi o jogo, não superficial, vão perceber que fizemos um grande jogo. Se tivéssemos empatado ou ganho tinha sido um jogo extraordinário. Cometemos pequenos erros e tivemos pequenos momentos de azar. Falharam um canto, falharam o primeiro remate e acabaram por fazer o golo. Um jogador nosso estava mal posicionado, é verdade, devia estar no sítio e não estava», referiu.

«Ouvi dizer que se não fosse o Renan tínhamos levado uma cabazada. Isso não é verdade. Se calhar, se não fosse o guarda-redes deles tínhamos empatado o jogo. Conseguimos encostar o adversário lá atrás. Uma equipa que tinha 15 golos marcados e sofrido um e conseguimos dar a reposta que demos, são os melhores indicadores que temos para enfrentar o próximo jogo», apontou, antes de falar no sistema tático utlizado.

«Os sistemas táticos não são dos treinadores, são dos jogadores. Em função do plantel, do momento, achei que para este jogo (PSV) era a melhor opção. Não significa que não possamos mudar porque já temos mais jogadores disponíveis. Este sistema tem um posicionamento fixo, mas dinâmico. Os jogadores, cada vez mais, em função dos treinos, têm tido mais ferramentas para encarar o sistema que usamos», acrescentou.