FIBA women´s Eurobasket Letónia/Sérvia – 2019 (artigo de Eduardo Monteiro, 41)

ESPAÇO UNIVERSIDADE 13-06-19 4:52
Por Eduardo Monteiro

Evolução histórica 

O primeiro Campeonato da Europa Feminino de seleções nacionais, organizado pela FIBA, decorreu entre 12 e 16 de Outubro de 1938, na cidade de Roma (Itália), com a participação das representações da França, Itália, Lituânia, Polónia e Suiça. Face ao reduzido número de equipas o sistema competitivo permitiu que todos jogassem entre si. Ao tempo, o basquetebol feminino ainda se encontrava numa fase inicial de  desenvolvimento pelo que os resultados verificados apresentavam números relativamente baixos em comparação com o que, hoje em dia, acontece. 

Resultados:

Itália – 34 França – 18; Polónia – 24 Lituânia – 21; França -  43 Suiça – 18; Lituânia – 23 Itália – 21; Itália – 27 Polónia – 19; Lituânia – 28 Suiça – 10; Polónia – 34 Suiça – 6; Lituânia – 20 França – 14; Polónia – 24 França – 19; Itália – 58 Suiça -8.

Deste conjunto de resultados, em que todos jogaram com todos, foi possível estabelecer uma classificação final das equipas na qual  o cêsto average foi decisivo. 

Classificação final:

1ª Itália (3 vitórias e 1 derrota) (140 pontos marcados/68 sofridos) (+72);    2 ª Lituânia (3 vitórias e 1 derrota) ( 92 pontos marcados/69 sofridos) (+23); 3ª Polónia (3 vitórias e 1 derrota) (101 pontos marcados/73 sofridos) (+28); 4ª França  (1 vitória e 3 derrotas)  (94 pontos marcados/96 sofridos) (-2);      5ª Suiça  (0 vitórias e 4 derrotas)  (42 pontos marcados/163 sofridos)  (-121).

Entretanto, a Europa entrou em colapso (2ª Guerra Mundial) e só 12 anos depois (1950) é que foi possível reeditar a prova, na cidade de Budapeste (Hungria), com a participação das selecções de senhoras de doze nações que, na fase preliminar, ficaram distribuídas por 3 grupos e obtiveram as seguintes classificações: 

Grupo A

1ª União Soviética (3 vitórias e 0 derrotas)(229/67 pontos) diferença (+162);   2ª França (2 vitórias e 1 derrota)  (109/143 pontos) diferença pontual (-34);                3ª Roménia (1 vitória e 2 derrotas) (91/146 pontos) diferença pontual (-55); 4ª Bélgica (0 vitórias e 3 derrotas) (117/190 pontos) diferença pontual (-73).

Grupo B

1ª Hungria ( 3 vitórias e 0 derrotas) (215/66 pontos) diferença pont. (+149): 2ª Polónia (2 vitórias e 1 derrota) (127/95 pontos) diferença pontual (+32); 3ª Austria (1 vitória e 2 derrotas) (72/126 pontos) diferença pontual (-54); 4ª Israel (0 vitórias e 3 derrotas) (44/171 pontos) diferença pontual (-127).

Grupo C

1ª Checoslováquia (3 vitórias e 0 derrotas) (158/69 pontos) diferença (+89); 2ª Itália (2 vitórias e 1 derrota) (166/75 pontos) diferença pontual (+91);     3ª Holanda (1 vitória e 2 derrotas) (66/148 pontos) diferença pontual (-82); 4ª Suiça (0 vitórias e 3 derrotas) (63/161 pontos) diferença pontual (-98).

Deste modo, as equipas que obtiveram as duas primeiras posições de cada grupo, na fase preliminar, ficaram apuradas para disputar os seis primeiros lugares na fase final, enquanto as seis restantes equipas (3ºs e 4ºs classificados) disputaram entre si a obtenção da melhor classificação possível entre a sétima e a décima segunda posição.

Apuramento da 1ª à 6ª classificada:

1ª U. Soviética (5 V - 0 D) 350/128 pontos (+222)  média p/jogo (70.0/25.6);  2ª Hungria (4 V- 1 D)    224/185 pontos  (+39) média  p/ jogo (44.8/37.0);    3ª Checoslováquia (3 V-2 D) 205/206 pontos (-1)média p/ jogo (41.0/41.1); 4ª França (2 V – 3 D)  197/257 pontos  (-60) média  p/ jogo    (39.4/51.4);    5ª Itália  (1 V - 4 D)    168/217 pontos   (-49)    média p/  jogo   (33.6/40.3);    6ª Polónia  (0 V - 5 D)  116/267  pontos  (-151)   média p/ jogo (20.3/53.4).

Apuramento da 7ª à 12ª classificada:

7ª Roménia (5 Vit. - 0 D) 193/130 pontos (+63) média p/ jogo (38.6/26.2); 8ª Bélgica  (4 Vit.-1 D)  211/161 pontos (+50)   média p/ jogo  (40.2/31.0); 9ª Suíça (2 Vit. - 3 Der.) 141/143 pontos (-2)  média  p/ jogo  (28.2/28.6); 10ª Áustria   (2 Vit.-3 D) 131/149 pontos     (-18)   média p/jogo   (26.2/29.8);    11ª Israel (1 Vit. e 4 D) 121/172 pontos (-51) média p/ jogo (24.2/34.4);     12ª Holanda (1 Vit.-4 D)   120/162 pontos  (-42) média p/jogo (24.0/32.4).

O principal factor condicionante do desenvolvimento do basquetebol feminino no continente europeu assentava na selecção da União Soviética que, durante as décadas de 50 a 90, utilizava as atletas das diversas repúblicas aglutinando as melhores praticantes daquelas nações numa super equipa que conquistou, numa primeira fase, os títulos europeus nos campeonatos realizados em 1950-Budapeste, 1952-Moscovo, 1954-Belgrado e 1956-Praga. Nem mesmo a vitória da seleção da Bulgária em Lodz (Polónia), em 1958, conseguiu alterar a situação. Assim, a partir de 1960 a formação da União Soviética recuperou a sua hegemonia e prolongou-a até 1991 com a conquista de 17 eurobaskets consecutivos. 

Entretanto, em 1991, com a desagregação da União Soviética e a constituição de novos países independentes o panorama do basquetebol feminino europeu alterou-se radicalmente. Em consequência, de um momento para o outro,  começaram a surgir novas seleções que provocaram uma progressiva alteração da situação como se pode constatar pelas classificações obtidas nas quatro primeiras posições nos Eurobasket das senhoras a partir desse momento: 

- Itália/1993 - Espanha, França, Eslováquia e Itália;

- República Checa/1995 - Ucrânia, Itália, Rússia e Eslováquia;

- Hungria/1997 - Lituania, Eslováquia, Alemanha e Hungria;

- Polónia/1999 - Polónia, França, Rússia e Eslováquia;

- França/2001 - França, Rússia, Espanha e Lituania;

- Grécia/2003 - Rússia, República Checa, Espanha e Polónia;

- Turquia/2005 - R. Checa, Rússia, Espanha e Lituania;

- Itália/2007 - Rússia, Espanha, Bielorrússia e Letónia;

- Letónia/2009 - França, Rússia, Espanha e Bielorrússia;

- Polónia/2011 - Rússia, Turquia, França e R. Checa;

- França/2013 - Espanha, França, Turquia e Sérvia;

- Hungria-Roménia/2015 - Sérvia, França, Espanha e e Bielorrússia;

- República Checa/2017 - Espanha, França, Bélgica e Grécia.

Consequentemente, o basquetebol feminino europeu tornou-se dominante a nível internacional apresentando 8 seleções nacionais posicionadas nos primeiros vinte lugares do ranking mundial (2ª Espanha, 4ª França, 6ª Turquia, 8ª Sérvia, 11ª Rússia, 12ª R. Checa, 13ª Bielorrússia e 16ª Bélgica), enquanto a América tem 5 representantes (1ª USA, 5ª Canadá, 9ª Brasil, 14ª Cuba e 15ª Argentina). A Ásia, por sua vez, ao absorver as equipas da Oceania figura com 4 seleções (3ª Austrália, 7ª China, 10ª Japão e 18ª Coreia Sul) enquanto  África não vai além de 3 representantes (17ª Senegal, 19ª Nigéria e 20ª Angola). 

Fase de Apuramento Women´s Eurobasket 2019

Este ano a prova vai ser organizada pela segunda vez, na sua história, em  dois países, Letónia e Sérvia, no período de 27 de Junho a 7 de Julho nas cidades de Riga e Belgrado, com a participação das 16 seleções finalistas saídas da fase de apuramento efectuada durante 2018. Nesta fase preliminar estiveram envolvidas 32 equipas nacionais distribuídas por 8 grupos, 4 equipas cada, com jogos entre  si (casa e fora), tendo sido apuradas as duas primeiras classificadas dos diferentes grupos: 

Grupo A

1º Montenegro (4-2), 2ª Bósnia Hergegovina (4-2), 3ª Eslováquia (4-2), 4ª Islandia (0-6);

Grupo B

1ª Turquia (5-1), 2ª  Bielorrússia (5-1), 3ª Polónia (2-4), 4ª Estónia (0-6);

Grupo C

1ª Rússia (6-0), 2ª Hungria (4-2), 3ª Lituania (2-4), 4ª Albania (0-6);

Grupo D

1ª Grã Bretanha (5-1), 2ª Grécia (4-2), 3ª Israel (2-4), 4ª Portugal (1-5);

Grupo E

1ª França (5-1), 2ª Eslovénia (5-1), 3ª Roménia (2-4), 4ª Finlandia (0-6);

Grupo F

1ª Espanha (6-0), 2ª Ucrania (4-2), 3ª Holanda (2-4), 4ª Bulgaria (0-6);

Grupo G

1ª R. Checa (5-1), 2ª Bélgica (5-1), 3ª Alemanha (2-4), 4ª Suiça (0-6);

Grupo H

1ª Itália (5-1), 2ª Suécia (4-2), 3ª Croácia (3-3), Macedónia (0-6).

Fase Final

As 16 seleções apuradas para a fase final ficaram enquadradas em quatro grupos, de 4 equipas cada que, por sua vez, possuem os seguintes rankings a nivel europeu:

Grupo A

Ucrania (17ª), Grã Bretanha (12ª), Letónia (11ª) e Espanha (1ª);

Grupo B

Suécia (18ª), França (2ª), R. Checa (6ª) e Montenegro (13ª);

Grupo C

Hungria (19ª), Turquia (3ª), Itália (16ª) e Eslovénia (23ª);

Grupo D

Bielorrússia (7ª), Rússia (5ª), Bélgica (8ª) e Sérvia (4ª).

Ao analisarmos as seleções apuradas para o “FIBA Women´s Eurobasket 2019”, verificamos que as principais surpresas residem no apuramento da Ucrania, Suécia, Hungria e Eslovénia cujos rankings são inferiores ao das 16 equipas melhor posicionadas no ranking europeu. Pelo inverso, o não apuramento das seleções da Croácia (9ª), Grécia (10ª), Eslovénia (14ª) e Lituania (15ª), não só as vão impedir de lutar por uma classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio como, eventualmente, serão penalizadas em termos de ranking não só a nível europeu como mundial. 

Quanto à  participação da seleção portuguesa na fase de apuramento o saldo foi de 1 vitória e 5 derrotas, o que significa que não tem havido continuidade na equipa senior dos bons resultados alcançados pelas equipas jovens. Algo não está a funcionar bem neste processo, pelo que é necessário identificar os problemas e implementar as devidas soluções a fim de melhorar quantitativa e qualitativamente o basquetebol feminino nacional. 

Eduardo Monteiro é ex-treinador do SL Benfica e das Seleções Nacionais