Seleção feminina estreia-se  a vencer no Afrobasket

Moçambique 11-08-2019 13:28
Por Álvaro da Costa, Maputo

A seleção moçambicana de básquete sénior feminina estreou-se este sábado a vencer no Afrobasket-Dakar 2019, batendo o Quénia, por 51-34, na primeira jornada do grupo D.

 

Como já era de esperar a equipa moçambicana, quarta classificada no último Afrobasket, teve domínio total do jogo, tendo estado sempre na frente. No 1° período venceu por 18-11, no 2° saiu na frente por 14-9. O terceiro , o mais equilibrado, ganhou por 9-8, e no 4° e último derrotou as quenianas por 12-9. 

 

Este triunfo coloca Moçambique em boas condições de terminar em 1° lugar e apurar-se diretamente para os quartos de final.

 

A seleção moçambicana fecha a participação na fase de grupos jogando, na próxima terça feira, com Cabo Verde, um adversário ao alcance.

As basquestistas moçambicanas, comandadas do espanhol, Julian Martinez ,  pretendem conquistar o título africano. Por três vezes foram derrotadas na final,em 1986, 2003 e 2013, e em Dakar querem fazer história. Sublinhe-se que o Senegal é recordista em títulos , com 11, seguido pela Nigéria e RD Congo , ambos com 3. Angola e Egito contabilizam 2, enquanto Madagáscar e Mali somam 1.  

 

Eis as 12 atletas que compõem a Seleção moçambicana:

Bases - Anabela Cossa (Ferroviário de Maputo) , Delma Zita (Ferroviário de Maputo); Extremos: Denise Ernesto (Ferroviário de Maputo), Ingvild Mucauro (Ferroviário de Maputo), Elizabeth Pereira (Costa do Sol),  Eleutéria Lhavanguane (Ferroviário de Maputo), Odélia Mafanela (Ferroviário de Maputo) ; Postes: Deolinda Gimo (Costa do Sol), Tamara Seda (Zamarat, Espanha), Amélia Macamo (Ferroviário de Maputo) e Leia Dongue (Spart Citylift Girona, Espanha) e Nilsa Chiziane (Politécnica de Maputo).  

 

O FUTURO COM O NOSSO PASSADO


Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo de qualidade que se faz da grande história, da investigação e da grande reportagem – nós temos esse jornalismo (o jornalismo que fez com que se falasse de A BOLA como a Bíblia) para lhe continuar a dar.

Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo do texto criativo e sedutor e da opinião acutilante que não se faz de cócoras ou de mão estendida – nós temos esse jornalismo para lhe continuar a dar…

… e para nos ajudar a manter e a melhorar esse jornalismo sério e independente com o timbre de A BOLA,

Junte-se a nós nesse novo desafio ao futuro, tornando-se nosso assinante.

ASSINE AQUI

A Edição Digital de A Bola

Ler Mais

Últimas Notícias