António Guterres visita zona atingida pelo Idai

Moçambique 12-07-2019 07:33
Por Lusa

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, prossegue hoje a sua visita a Moçambique, deslocando-se à cidade da Beira (centro), onde irá contactar trabalhadores humanitários e populações deslocadas após o ciclone Idai, que atingiu a região em março.

 

De acordo com o programa da visita, Guterres deverá ter na Beira um encontro com o governador da província de Sofala, Alberto Mondlane, no aeroporto internacional daquela cidade.

 

A deslocação começa na Escola 25 de Junho, bairro da Munhava, afetada pelo ciclone Idai, e onde se encontrará com pessoas portadoras de deficiência, seguindo-se uma visita ao Centro de Reassentamento de Mandruzi, distrito de Dondo, onde está previsto um encontro com mulheres.

Depois, o secretário-geral das Nações Unidas desloca-se aos escritórios locais da UNICEF, onde se encontrará com a equipa da ajuda humanitária da organização.

 

Após almoço, reúne-se com o presidente do Conselho Municipal da Cidade da Beira e, depois, vai às instalações do Programa Mundial Alimentar, onde terá um encontro com a equipa de assistência humanitária. Está ainda prevista uma conferência de imprensa.

 

Guterres regressa, pelas 15 horas (14 horas em Lisboa), a Maputo, onde não terá mais agenda pública.

 

No sábado de manhã, o secretário-geral das Nações Unidas parte de Maputo num voo com destino a Lisboa.

 

O ciclone Idai atingiu o centro de Moçambique em março, provocando 604 vítimas mortais e afetando cerca de 1,8 milhões de pessoas.

Pouco tempo depois, Moçambique voltou a ser atingido por um ciclone, o Kenneth, que se abateu sobre o norte do país em abril, matando 45 pessoas e afetando outras 250.000.

O FUTURO COM O NOSSO PASSADO


Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo de qualidade que se faz da grande história, da investigação e da grande reportagem – nós temos esse jornalismo (o jornalismo que fez com que se falasse de A BOLA como a Bíblia) para lhe continuar a dar.

Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo do texto criativo e sedutor e da opinião acutilante que não se faz de cócoras ou de mão estendida – nós temos esse jornalismo para lhe continuar a dar…

… e para nos ajudar a manter e a melhorar esse jornalismo sério e independente com o timbre de A BOLA,

Junte-se a nós nesse novo desafio ao futuro, tornando-se nosso assinante.

ASSINE AQUI

A Edição Digital de A Bola

Ler Mais

Últimas Notícias

Mundos