Angolanos celebram independência em Lisboa (fotos)

Lisboa 01-08-2015 23:55
Por Luís Filipe Simões
Os angolanos residentes em Portugal estiveram, este sábado, reunidos no Instituto Superior de Gestão, em Lisboa, para mais um dia de celebração do 40.º aniversário da independência daquele país africano.

Convocadas pelo embaixador José Marcos Barrica, as cerca de 200 pessoas que estavam na sala cantaram o hino com notória emoção.

Autocarros lotados chegaram do Porto, mas também do Algarve. Angolanos vindos de norte a sul de Portugal unidos numa celebração especial que teve como tema «Independência, Paz, Unidade Nacional e Desenvolvimento», conceitos que estiveram sempre presentes no discurso de Marcos Barrica.

Antes ainda, coube à Cônsul Geral em Lisboa, Cecília Baptista, dar as boas-vindas a todos os que disseram presente à convocatória de José Marcos Barrica, embaixador de Angola em Lisboa, pedindo que o dia fosse de «reflexão sobre os 40 anos de independência e os caminhos que deve seguir a grande nação, que é Angola».

Marcos Barrica fez, depois, uma viagem às lutas travadas nas últimas quatro décadas, falando na «atual conjuntura política e socioeconómica de Angola fruto dos 40 anos de independência».

Em junho, foi noticiada a detenção de 15 pessoas durante uma manifestação em Luanda. Marcos Barrica não fugiu ao tema, dizendo que os «jovens a quem chamaram ativistas políticos agiram, isso sim, à margem da lei».

«O direito de manifestação está consagrado na Constituição e os angolanos devem exercê-lo quando sentem necessidade. Mas a Constituição também diz que a liberdade de expressão e a liberdade de informação têm como limites os direitos de todos ao bom nome, à honra e à reputação, à imagem e à reserva da intimidade da família privada», afirmou ainda o embaixador.

Marcos Barrica defendeu também que os prazos da prisão preventiva estão a ser respeitados e concluiu o assunto de forma enérgica: «Às vezes quem fala, quem reivindica o direito de manifestar, esquece-se de que este direito exige-lhe um dever, que é o dever de respeitar o direito do outro.»

Fotos Carla Carriço/ASF
Ler Mais

Últimas Notícias