SEXTA-FEIRA, 28-07-2017, ANO 18, N.º 6390
Professor Manuel Sérgio
Ética no Desporto
Quando o amor era mais íntimo (artigo de Manuel Sérgio, 174)
16:34 - 23-12-2016
Manuel Sérgio
Quando o amor era mais íntimo: quando nenhum ruído levantava as pálpebras dos que dormiam – de súbito, despontou, naquela noite, uma estrela de luz ofuscante. Os pastores acordaram sobressaltados, os animais atiraram à beleza da noite mugidos, grunhidos, relinchos de susto. Aos guerreiros, magistrados, arúspices, sibilas, às figuras gradas do Império Romano, ao próprio Otávio César Augusto passara despercebido este espanto.

Entretanto, corrido o primeiro susto, começou a chegar aos ouvidos dos pastores hinos embaladores e misteriosos, como o odor de rosa oculta em jardim. Simultaneamente, uma voz desconhecida, mas serena, repleta, prodigiosa proclamou: Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade. E a mesma voz continuou, adornando os ares, enchendo o escuro e o frio: Tranquilizai-vos. Trago-vos notícia de grande alegria, que será também para todo o povo. Na cidade de David, nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor, E isto vos será por sinal: achareis o menino envolto em panos e deitado numa manjedoura.

Quando o silêncio voltou a sulcar a noite, um frémito inquietante os tomou. Um velho pastor refletiu: Coisa extraordinária deve ter sucedido, para termos aviso do Céu! Resoluto, afastando o cortejo de sombras, que se instalara no cérebro daqueles homens rudes, um dos mais jovens propôs: Vamos a Belém e vejamos o que se passa. E deitaram-se ao caminho, em passos leves. Estavam prestes a chegar à cidade, quando descortinaram um límpido fulgor a brotar de uma caverna aberta na rocha.

Acercaram-se. Penetraram nela. E encontraram este quadro que nada tinha de singular: um homem, uma mulher e, deitado sobre as palhas, um recém-nascido. Todavia, uma floração repentina de respeito e de ternura obrigou-os a ajoelharem-se, adorando a criança e louvando a Deus “por tudo o que viram e ouviram, conforme o que lhes tinha sido anunciado”. Foram os simples, os desprotegidos, os explorados os primeiros a descobrirem numa criança o Deus-Menino. No macio lusco-fusco amanhecente, escrevera-se na História a lição definitiva: só os simples são livres, para conhecer e amar!

Manuel Sérgio é professor catedrático da Faculdade de Motricidade Humana e Provedor para a Ética no Desporto

NOTÍCIAS RELACIONADAS

comentários

0
Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter
Faça um comentário (máx: 300)

mais de ÉTICA NO DESPORTO

Ética no Desporto O Albergue Espanhol, livro recém-editado pela Rosa de Porcelana Editora (Lisboa, 2017), de Jorge Carlos Fonseca, atual Presidente da República de Cabo Verde, é a muitos títulos um livro surpreendente, tanto pelo ineditismo da forma (ora, parec
Ética no Desporto No magistério crítico que o Padre Manuel Antunes, durante longos anos exerceu na vida intelectual portuguesa, as suas aulas de História da Cultura Clássica, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, foram talvez as que mais fama lhe granjear

destaques