QUINTA-FEIRA, 27-07-2017, ANO 18, N.º 6389
Cabo Verde
Arquipélago vai assinar ainda este ano novo acordo de defesa e segurança com EUA
21:34 - 17-07-2017
Cabo Verde pretende assinar ainda este ano um novo acordo de defesa e segurança com os Estados Unidos, que prevê garantir maior segurança nas suas águas territoriais, disse hoje o ministro das Relações Exteriores cabo-verdiano.

«Estamos a negociar um novo acordo de defesa com os Estados Unidos. Já houve propostas de parte a parte, estamos a aguardar uma reação norte-americana e acreditamos que até setembro, o mais tardar, estaremos em condições de o assinar», disse Luís Filipe Tavares.

O chefe da diplomacia cabo-verdiana falava à imprensa à margem da tomada de posse de Maria de Jesus Miranda como nova representante permanente de Cabo Verde junto das Nações Unidas e de Organismos Internacionais com sede em Genebra, na Suíça.

Questionado se o acordo vai implicar ter bases ou tropas dos Estados Unidos estabelecidas em Cabo Verde, o ministro das Relações Exteriores e Comunidades disse apenas que «está a ser negociado» e terá que ser feito no quadro das leis dos dois países.

«É um acordo muito importante para Cabo Verde garantir maior segurança nas suas águas territoriais, estamos a negociar. Quando estiver totalmente negociado daremos a conhecer o seu teor à sociedade cabo-verdiana», prometeu.

Luís Filipe Tavares notou ainda que o acordo será «extremamente importante» para a proteção da circulação de pessoas, bens e mercadorias do atlântico norte para o atlântico sul e vice-versa.

«Estamos num bom caminho. É um trabalho importante que temos vindo a fazer», prosseguiu, informando que as tropas norte-americanas vão realizar no próximo ano vários exercícios militares em Cabo Verde, à semelhança do que aconteceu este ano com a Espanha, Reino Unidos, França e Brasil.

«São exercícios fundamentais para dissuadir todo o tipo de tráfego ilegal, de pessoas, drogas, pesca ilegal e outros problemas que temos nesta região do atlântico», salientou o ministro das Relações Exteriores e Comunidades de Cabo Verde.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Estados Unidos O principal conselheiro do presidente dos Estados Unidos para o Médio Oriente, Derek Harvey, terá sido demitido esta quinta-feira, sem que as razões tenham sido tornadas públicas. A informação foi divulgada por dois membros da Casa Branca com conhecimento do assunto, mas sob anonimato, uma vez que não têm autorização para o tratar em público. A Casa Branca ainda não confirmou que Harvey foi demitido, mas assegurou que já não é o principal conselheiro para o Médio Oriente. Em comunicado,
País O primeiro-ministro, António Costa, será recebido pelo presidente francês, Emmanuel Macron, na sexta-feira em Paris. Este encontro vai coincidir com uma conjuntura em que a França atingiu a primeira posto como mercado gerador de recietas para a hotelaria portuguesa. Entre os principais indicadores económicos referentes às relações luso-francesas, e que poderão ser analisados durante o almoço entre os dois governantes, no Palácio do Eliseu, está o facto de Portugal ser atualmente o quarto d
Reino Unido De acordo com o britânico The Independent, a polícia que investigou o incêndio na torre de Grenfell, em Londres, concluiu que existem «motivos razoáveis» para suspeitar que o Royal Borough de Kensington e Chelsea e a organização de gestão de condomínios TMO possam ter cometido homicídio corporativo. Ambos os chefes destas organizações irão ser formalmente interrogados no decorrer da investigação criminal à tragédia que matou, pelo menos, 80 pessoas. Uma «avaliação inicial» do materi

destaques