SEXTA-FEIRA, 21-07-2017, ANO 18, N.º 6383
(Foto: D.R.)
País
Campanha «Vota Tâmega» quer impedir contrução de novas barragens
19:13 - 17-07-2017
A associação ambientalista Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) está a promover uma campanha, no âmbito do projeto Rios Livres, que tem o objetivo de sensabilizar os candidatos autárquicos para o impacto negativo das novas barragens do Vale do Tâmega.

A campanha «Vota Tâmega», iniciada no passado mês de junho, apresenta no seu `site´ oficial (www.votatamega.com) as razões pelas quais se pede o fim da construção das barragens de Fridão, Daivões, Gouvães e Alto Tâmega.

Entre os dias 18 e 23 de julho, arranca uma Caravana pelo Tâmega, que vai passar por várias localidades para falar com as populações, informar sobre o tema e insistir que os candidatos a presidente de Câmara nas Eleições Autárquicas, que se realizam em outubro, assinem a Declaração.
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

México As autoridades mexicanas anunciaram que mataram o líder e sete membros de um grupo de traficantes de droga no sul da capita do país. A Marinha do México anunciou que alguns marinheiros ficaram debaixo de fogo quando estavam a ajudar nas investigações das autoridades federais sobre o grupo de traficantes. Através de um comunicado divulgado, esta quinta-feira, a Marinha revelou que o grupo operava nos distritos de Iztapalapa e Tlahuac, a sul e leste da capital, onde além de venderem droga ta
Turquia O Presidente da Turquia apelou esta quinta-feira a Israel para retirar os detetores de metais dos acessos à esplanada das Mesquitas, em Jerusalém, no centro de crescentes tensões entre israelitas e palestinianos, revelou a agencia pró-governamental turca Anadolu. «Atendendo à importância de que se reveste Al-Haram al-Charif (a esplanada das Mesquitas) para todo o mundo islâmico, os detetores de metais instalados por Israel devem ser retirados no mais breve prazo possível», afirmou Rece
União Europeia Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, disse que ainda não chegou o momento da União Europeia discutir as sanções contra a Venezuela. «Nós ainda não chegamos à fase em que tenhamos de discutir eventualmente a aplicação de sanções contra a Venezuela. Se chegarmos a esta fase, Portugal manifestará a sua posição», disse. O chefe da diplomacia portuguesa falou após o conselho de ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, em Brasília. Quando questionado sobre

destaques