QUINTA-FEIRA, 27-07-2017, ANO 18, N.º 6389
País
Chefe do Exército volta a nomear comandantes exonerados
18:13 - 17-07-2017
O Chefe do Estado- Maior do Exército, Rovisco Duarte, voltou a nomear os cinco comandantes que tinham sido exonerados na sequência do roubo de material de guerra na base militar de Tancos.

«O Exército informa que os oficiais em causa foram nomeados pelo Chefe do Estado-Maior do Exército para os mesmos cargos, com efeitos a partir de 18 de julho de 2017», é referido num comunicado do Exército.

Esta decisão foi tomada «considerando que com a conclusão destas averiguações se encontram ultrapassadas as razões que justificaram a exoneração dos comandantes».

Os militares que tinham sido exonerados são o comandante da Unidade de Apoio da Brigada de Reação Rápida, tenente-coronel Correia, o comandante do Regimento de Infantaria 15, coronel Ferreira Duarte, o comandante do Regimento de Paraquedistas, coronel Hilário Peixeiro, o comandante do Regimento de Engenharia 1, coronel Paulo Almeida, e o comandante da Unidade de Apoio de Material do Exército, coronel Amorim Ribeiro.


Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Estados Unidos O principal conselheiro do presidente dos Estados Unidos para o Médio Oriente, Derek Harvey, terá sido demitido esta quinta-feira, sem que as razões tenham sido tornadas públicas. A informação foi divulgada por dois membros da Casa Branca com conhecimento do assunto, mas sob anonimato, uma vez que não têm autorização para o tratar em público. A Casa Branca ainda não confirmou que Harvey foi demitido, mas assegurou que já não é o principal conselheiro para o Médio Oriente. Em comunicado,
País O primeiro-ministro, António Costa, será recebido pelo presidente francês, Emmanuel Macron, na sexta-feira em Paris. Este encontro vai coincidir com uma conjuntura em que a França atingiu a primeira posto como mercado gerador de recietas para a hotelaria portuguesa. Entre os principais indicadores económicos referentes às relações luso-francesas, e que poderão ser analisados durante o almoço entre os dois governantes, no Palácio do Eliseu, está o facto de Portugal ser atualmente o quarto d
Reino Unido De acordo com o britânico The Independent, a polícia que investigou o incêndio na torre de Grenfell, em Londres, concluiu que existem «motivos razoáveis» para suspeitar que o Royal Borough de Kensington e Chelsea e a organização de gestão de condomínios TMO possam ter cometido homicídio corporativo. Ambos os chefes destas organizações irão ser formalmente interrogados no decorrer da investigação criminal à tragédia que matou, pelo menos, 80 pessoas. Uma «avaliação inicial» do materi

destaques