TERÇA-FEIRA, 25-07-2017, ANO 18, N.º 6387
Foto genérica (Lusa)
Alijó
Aldeia de Santa Eugénia evacuada devido à proximidade das chamas
14:13 - 17-07-2017
O incêndio que lavra em Alijó, desde a madrugada do passado domingo chegou esta segunda-feira à aldeia de Santa Eugénia obrigando à evacuação de casas de acolhimento de idosos.

A RTP avançou ao início da tarde que toda a aldeia teve de ser evacuada devido à proximidade das chamas.

De acordo com o site da Proteção Civil, ás 13.50 horas estavam no terreno 436 operacionais, 132 meios terrestres e nove aéreos.

Notícia atualiza às 15.03 horas
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Saúde Os enfermeiros decidiram esta segunda-feira suspender a greve de zelo e o protesto contra o não pagamento do trabalho especializado. O Governo comprometeu-se a iniciar negociações sobre questões como horários de trabalho e remunerações. Desde o mês de maio que os enfermeiros estavam em greve de zelo, sendo que os especialistas em saúde materna e obstétrica não prestavam cuidados diferenciados desde o inicio de julho. Estava também marcada uma segunda greve, de cinco dias, que iria abranger
Proença-a-Nova O combate ao incêndio no concelho de Proença-a-Nova apresenta «uma evolução relativamente favorável», revelou o autarca. João Lobo disse que a frente que se aproxima da vila ainda não está sob controlo, «mas é a menos grave». Outra frente, já na freguesia de São Pedro do Esteval «é a única em contingência» que «evolui mais lentamente» por ser uma zona de menor densidade florestal e mais pasto. Até ao momento não foi preciso fazer qualquer tipo de evacuação e continua a não haver registo
Estados Unidos Quatro pessoas foram encontradas vivas esta segunda-feira no camião de carga estacionado no parque de um supermercado de San Antonio, perto da fronteira com o México, no qual morreram pelo menos dez pessoas. O diretor do Departamento dos Assuntos Migratórios do Estado mexicano de Agascalientes, José Francisco Ortiz, revelou que os quatro migrantes foram hospitalizados e não correm perigo de vida. O Governo estará a tentar obter vistos humanitários para os familiares das vítimas poderem vis

destaques