SÁBADO, 22-07-2017, ANO 18, N.º 6384
Estados Unidos
Trump disse aos russos que ficou aliviado ao despedir ex-diretor do FBI
23:13 - 19-05-2017
No passado dia 10, um dia depois de ser anunciado o despedimento de James Comey do cargo de diretor do FBI, Donald Trump recebeu dois representantes russos na Casa Branca: o ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, e o embaixador da Rússia nos EUA, Sergei Kisliak.

O jornal New York Times revela que teve acesso à minuta da reunião onde pode ler-se um comentário atribuído a Trump: «Acabei de despedir o diretor do FBI. Ele era maluco, um verdadeiro maníaco.»

Trump também é citado a dizer que a decisão o tinha deixado aliviado.

«Enfrentei uma grande pressão por causa da Rússia. Já não existe», acrescentou.

Esta revelação vem adensar as suspeitas em torno das motivações do presidente norte-americano, que nega ter demitido o diretor do FBI por causa das investigações a uma alegada interferência russa na campanha presidencial frente a Hillary Clinton.

O diretor do FBI em funções, Andrew McCabe, afirmou perante o Senado que fiscaliza as agências de informação e que o despedimento de Comey não vai impedir a continuidade da investigação sobre a ligação entre a Rússia e Trump.
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Alcobaça Um homem morreu este sábado na sequência da colisão entre um motociclo e um veículo ligeiro, em Lameira, concelho de Alcobaça, informou o Comando Distrital de Operações de Socorro de Leiria. Além da vítima mortal, o acidente que ocorreu na Estrada Nacional 8 ao início da tarde, provocou também um ferido ligeiro. No local estiveram os Bombeiros de Alcobaça, a GNR e uma VMER do hospital de Leiria.
Palestina Um rapaz de 17 anos que tinha sido atingido a tiro durante confrontos com forças israelitas acabou por morrer, revelou o Ministério da Saúde palestiniano. Oday Nawajaa tinha sido ferido durante os confrontos a norte de Jerusalém. A morte do jovem ocorre um dia depois de os tumultos provocados por novas medidas de segurança serem adotadas na Esplanada das Mesquitas. Na passada sexta-feira foram mortos três palestinianos em Jerusalém e três israelitas na Cisjordânia.
Polónia Lech Walesa, ex-presidente da Polónia e prémio Nobel da Paz, juntou-se este sábado aos protestos que têm decorrido no país contra o projeto governamental que visa reformar o Supremo Tribunal, submetendo-o ao controlo do poder político. O ex-presidente polaco participou numa manifestação em Gdansk e lembrou aos manifestantes que a separação de poderes foi a conquita mais importante do sindicato Solidariedade e pediu que protestem na rua para impedirem o que o Governo acabe com esse fundamento.

destaques