SEGUNDA-FEIRA, 29-05-2017, ANO 18, N.º 6330
País
Manifestação de funcionários fecha centenas de escolas
10:47 - 21-04-2017
Centenas de escolas estão encerradas por causa do pré-aviso de greve emitido pelos sindicados de trabalhadores em funções públicas para permitir a participação na manifestação que está marcada para esta sexta-feira em Lisboa.

Segundo dados da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, a contabilização das escolas não está a ser feita porque o pré-aviso de se destina apenas a permitir a deslocação e participação dos trabalhadores na manifestação.

Artur Sequeira, da Federação Nacional dos Sindicatos, afirmou: «Tenho a indicação de que há centenas de escolas fechadas, mas não temos uma contagem, pois não era um pré-aviso para encerrar as escolas, apesar de muitas encerrarem».
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Angola José Eduardo dos Santos está em Espanha por questões médicas, segundo confirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Georges Chikoti, em entrevista à RFI. O presidente deixou Angola no início de maio e o seu regresso foi adiado várias vezes o que levou a que se especula-se sobre o seu estado de saúde. «Há momentos na vida de toda a gente em que não nos sentimentos bem. Mas ele [José Eduardo dos Santos] está bem. Está em Espanha mas, quando melhorar, ele voltará», afirmou Chikoti. O minis
França O presidente francês, Emmanuel Macron, reconheceu que o super-analisado aperto de mão a Donald Trump, na cimeira da NATO, por ter sido feito com bastante firmeza, não foi inocente. Foi o «um momento de verdade» para fazer uma demonstração de força ao homólogo norte-americano. O jornal francês Le Journal du Dimanche, cita Macron, que disse ter pensado no momento pois era preciso mostrar «pequenas concessões, mesmo simbólicas, mas também não fazer um grande alarido mediático». Ainda assim, e
Austrália A Austrália vai aumentar a sua presença militar no Afeganistão, na sequência do pedido da NATO para que preste assessoria às forças de segurança daquele país, confirmou hoje a ministra da Defesa, Marise Payne. «Dada a importância do Afeganistão e da luta global contra o terrorismo, o alargamento da contribuição ao apoio da missão é oportuno e apropriado», afirmou Marise Payne diante de uma comissão do Senado.

destaques