SÁBADO, 29-04-2017, ANO 18, N.º 6300
São Tomé e Príncipe
Governo pede ajuda a Portugal para combater cibercrimes
21:45 - 20-03-2017
O Governo são-tomense considera o combate ao cibercrime «uma prioridade» e pediu ajuda a Portugal para este combate, disse hoje a ministra da Justiça, Administração Pública e Direitos Humanos, Iza Amado Vaz.

«O Governo entende ser prioritária a prevenção, o combate e a proteção da sociedade contra o cibercrime, intensão essa expressa no programa do executivo e nas Grandes Opções do Plano», declarou a ministra, na abertura hoje de um seminário de dois dias organizado pela Procuradoria-Geral da República são-tomense e que está a ser ministrado pelo coordenador do gabinete de combate à cibercriminalidade do Ministério Publico português, Pedro Verdelho.

A governante sublinhou que «o acesso fácil à comunicação tem implicações substanciais na transformação da personalidade, na atuação e na socialização do cidadão, criando, assim, um espaço de vulnerabilidade onde alguns sujeitos, protegidos pelo anonimato que a Internet proporciona cometem atos ilícitos».

«Não obstante alguns desses crimes estarem devidamente tipificados no Código Penal e os infratores poderem ser julgados e condenados quando devidamente identificados, na maioria dos casos, a efetiva e eficaz punição desses atos revela-se difícil devido ao espaço virtual onde o crime ocorre, a difícil delimitação do lugar da prática dos factos e a complexa obtenção, conservação e validade dos meios de prova», explicou Iza Amado Vaz.

A governante considerou esses crimes como «um tipo particular de criminalidade que exige, por conseguinte, uma legislação específica e a existência de atores devidamente capacitados».

O executivo são-tomense garante que quer «proteger os interesses legítimos ligados ao desenvolvimento das tecnologias de informação, facilitando a detenção, a investigação e o procedimento criminal relativamente aos cibercrimes».

Iza Amado Vaz sublinhou que o seminário vai permitir aos magistrados judiciais e do Ministério Público «e os funcionários que têm a responsabilidade de investigação criminal refletirem sobre a realidade são-tomense e sobre os desafios que se impõem na prevenção e no combate a criminalidade virtual».

O Procurador-Geral da Republica de São Tomé e Príncipe, Frederique Samba, disse que no país existe «uma corrente de utilizadores» que tem socorrido da plataforma para manipular dados disponíveis para a realização de crimes.

«Violando assim bens jurídicos essenciais desde ataque à dignidade de pessoas aos servidores institucionais, como a destruição de informação privilegiada ou até mesmo fluxo de informação que permite uma transferência ilícita de patrimónios», disse o PGR são-tomense.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Estados Unidos A vida dos veteranos das Forças Armadas norte-americanas nem sempre é fácil depois de terminar a carreira militar. Agora com a parceria entre a Sandboxx, uma rede social direcionada para antigos militares, e a Betts Recruiting vai permitir que se crie uma plataforma para a procura de emprego, mais concretamente na área das tecnologias. Esta parceria fará com que empregadores na área das tecnologias possam entrar em contacto facilmente com antigos veteranos, os quais, por sua vez, terão aqu
País O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, manifestou a sua vontade em que haja mulheres a presidir às associações nacionais de freguesias (Anafre) e de municípios (ANMP), e também noutras funções políticas de liderança. «É preciso fazer muito mais em termos de participação política das mulheres», defendeu Marcelo Rebelo de Sousa. «A luta continua, para utilizar uma frase que ficou associada a um período histórico da afirmação da nossa democracia», afirmou o Chefe de Estado no enc
União Europeia O Executivo de António Costa entregou à Comissão Europeia o Programa Nacional de Reformas e o Programa de Estabilidade 2017-2021, dentro do prazo previsto, 30 de abril. Os documentos ainda não estão publicados no `site´ da Comissão Europeia, mas terão sido entregues na sexta-feira na sede do executivo comunitário, de acordo com fontes governamentais. A Comissão Europeia procederá à avaliação dos documentos durante o mês de maio, após o que emitirá as recomendações específicas por país, a s

destaques