DOMINGO, 28-05-2017, ANO 18, N.º 6329
Estados Unidos
Cidadãos de 13 países não podem levar aparelhos eletrónicos a bordo
23:02 - 20-03-2017
O The Guardian avança que os Estados Unidos pretendem impedir cidadãos de 13 países, a maioria muçulmana, de viajar em aviões levando a bordo dispositivos eletrónicos como portáteis, câmaras, tablets, entre outos.

A decisão da administração de Donald Trump ainda não é oficial, mas já está a ser divulgada numa circular interna.

As companhias aéreas que terão de aplicar as medidas ainda não terão sido informadas, mas entre elas incluem-se as de países como a Arábia Saudita e a Jordânia.

De acordo com o canal de televisão Fox News, as ameaças terroristas estão na origem destas novas medidas.
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Alemanha Depois das cimeiras da NATO e do G7, a chanceler alemã avisou que a Europa já não pode contar com os Estados Unidos nem com o Reino Unido, defendendo que chegou a hora dos europeus cuidarem do destino com as próprias mãos. Num comício em Munique, Angela Merkel confessou que, nos últimos dias, compreendeu que chegou ao fim um tempo em que a Europa podia depender completamente de outros aliados e afirma que agora os europeus têm de saber que têm de lutar pelo próprio futuro. A chanceler gara
Guiné-Bissau O Governo da Guiné-Bissau quer mais portugueses a visitar o país e lançou, recentemente, junto de várias agências de viagens portuguesas, cinco pacotes de férias para promover o destino em Portugal. A estratégia visa desenvolver o turismo guineense, principalmente o ecoturismo no arquipélago dos Bijagós, um conjunto 88 ilhas, classificadas pela UNESCO, desde 1996, como reserva da biosfera. «Entendemos que era mais fácil começar por Portugal, porque falamos a mesma língua, e existe um enorm
Brasil O Presidente do Brasil perdeu o apoio de quatro dos partidos que formam a sua base de apoio político na Câmara dos Deputados desde o início da crise política, motivada pelo seu alegado envolvimento num escândalo de corrupção. Após a instauração no Supremo Tribunal de uma investigação contra Michel Temer, partido socialista brasileiro (PSB), partido popular socialista (PPS), partido trabalhista nacional (PTN) e o partido humanista da solidariedade (PHS) abandonaram a base política que suporta

destaques