SEGUNDA-FEIRA, 27-02-2017, ANO 18, N.º 6239
Benoît Hamon tem 49 anos
França
Candidato do Partido Socialista francês às presidenciais, Benoît Hamon, em Portugal
16:42 - 17-02-2017
O candidato presidencial francês Benoît Hamon está em Portugal, a partir desta sexta-feira, para estudar a solução governativa conseguida por António Costa e os partidos que suportam o governo na assembleia.

A visita prevê encontros com o primeiro-ministro, mas também com a líder do Bloco de Esquerda, Catarina Martins e com a UGT.

A primeira viagem internacional como candidato presidencial acontece num momento em que Hamon está em negociações para um acordo político com os ecologistas franceses.

A visita é por isso interpretada pela impressa francesa como uma tentativa de reunir a esquerda, com o diário ‘Libération’, de esquerda, a sublinhar a existência da «brinquebalante», ou seja, a «geringonça», aludindo a uma “aliança histórica” entre socialistas, comunistas, bloquistas e verdes.

Segundo a última sondagem conduzida pelo diário Le Monde e pela Ipsos Sopra Steria, divulgada esta quinta-feira, Hamon conseguiria apenas 15,5% das preferências do eleitorado, quando no início do mês estava nos 18%.

Também a despenalização do consumo de drogas leves, em vigor em Portugal desde 2001, está na agenda, já que o candidato presidencial defende a legalização do consumo de cannabis com «controlo» da sua distribuição.

Para além das reuniões políticas, o candidato socialista deverá ainda visitar o embaixador francês, reunir-se com empresários e visitar o Liceu Francês.
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Angola O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal António Martins da Cruz pede «bom senso» e «recato» na forma como a Justiça portuguesa está a conduzir o processo em que é arguido o vice-Presidente angolano, Manuel Vicente. A posição foi transmitida numa declaração emitida pela Televisão Pública de Angola (TPA), na sequência do comunicado emitido sexta-feira pelo Ministério das Relações Exteriores e classificando como «inamistosa e despropositada» a forma como as autoridades portugues
Angola Frequentar o ensino superior em Angola vai custar este ano, pelo menos, 260.000 kwanzas (1.400 euros) a cada estudante, só em propinas, apesar das dificuldades financeiras generalizadas no país. Numa ronda feita pela Lusa pelas universidades da capital angolana, a poucos dias da abertura oficial do ano letivo de 2017 no ensino superior em Angola (março a dezembro), foi possível encontrar preços de propinas mensais (10 meses) que variam entre os 26.000 e os 36.000 kwanzas (148 a 205 euros).
Cabo Verde O ministro da Agricultura e Ambiente de Cabo Verde pediu hoje uma maior presença da Greenpeace no país no sentido de ajudar a reforçar a monitorização das águas e a exploração dos recursos de pesca do arquipélago. «Cabo Verde tem uma Zona Económica Exclusiva (ZEE) que é cerca de 180 vezes mais extensa do que a parte terrestre, o que significa que precisamos de ter uma atitude responsável e monitorizar as nossas águas. A atuação da Greenpeace e de outras organizações, em parceria com entidade

destaques