SEXTA-FEIRA, 24-03-2017, ANO 18, N.º 6264
Guarda
Unidade de Saúde da Guarda abre processo para apurar responsabilidades em morte de bebé
13:14 - 17-02-2017
O Conselho de Administração (CA) da Unidade Local de Saúde da Guarda abriu hoje um processo para apurar responsabilidades na morte de um bebé por alegada falta de assistência.

«Após ter conhecimento desta situação, o Conselho de Administração comunicou à tutela e aguarda-se que vá iniciar-se amanhã [sábado] mesmo um inquérito com três especialistas de obstetrícia e uma jurista externos, da parte da Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro, exatamente para haver uma isenção em todo este processo», afirmou hoje aos jornalistas o presidente do CA, Carlos Rodrigues.

Uma mulher em final de gestação perdeu o bebé depois de ter estado hora e meia à espera do obstetra, que se encotrava no hospital.
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Moçambique Depois de ter sido apresentado, em janeiro de 2016, como novo selecionador de Moçambique, num processo que não reuniu consenso, mas que teve a firme posição do Presidente da Federação, Alberto Simango Júnior, Abel Xavier, que conquistou a simpatia dos adeptos e até dos seus detratores, tem este ano um vasto conjunto de compromissos - só que o contrato do antigo internacional português expira em outubro, um mês antes da derradeira eliminatória do CAN-Interno, cujo adversário, curiosamente, poderá
Guiné-Bissau O Presidente da República da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, defendeu hoje, em Bafatá, que um dos legados que vai deixar um dia ao país será o fim do medo entre os cidadãos. Num comício popular na segunda cidade do país, localizada a cerca de 150 quilómetros a leste dá capital Bissau, onde se encontra em presidência aberta, José Mário Vaz considerou que se um dia deixar de ser o Chefe do Estado será lembrado como «aquele que acabou com o medo entre os cidadãos». «O medo e o ódio têm que acab
Argentina A antiga presidente da Argentina, Cristina Kirchner, vai ser julgada por «fraude contra a Administração Pública», no processo conhecido como ‘Dólar Futuro’, em que é acusada de ter manipulado a cotação do dólar por parte do banco central argentino. Kirschner, 64 anos, é alvo de várias investigações judiciais, suspeita de corrupção, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito´. A data do início do julgamento ainda não foi marcada, mas será a primeira vez que uma antiga chefe de Estado enf

destaques