QUINTA-FEIRA, 23-03-2017, ANO 18, N.º 6263
Idosos que se mudem para casa dos filhos perdem isenção de IMI
País
Idosos que se mudem para casa dos filhos perdem isenção de IMI
10:33 - 12-01-2017
Os proprietários de imóveis de baixo valor e com poucos rendimentos que deixem a sua casa para ir morar para num lar ou para casa dos filhos deixam de beneficiar da isenção de IMI.

Isto porque o código do Imposto Municipal sobre Imóveis, IMI, faz depender a atribuição da isenção deste imposto do domicílio fiscal e a lei que regula o cartão do cidadão faz com que a morada que consta naquele documento sirva para todas as relações das pessoas com o Estado.

Atualmente estão isentos de IMI os imóveis destinados à habitação própria e permanente das famílias cujos rendimentos brutos anuais não superem 15.295 euros e que sejam proprietários de prédios cujo valor patrimonial tributário (VPT) global seja no máximo de 66.500 euros.
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

País O Governo propôs aos parceiros sociais que os trabalhadores com, pelo menos, 48 anos de descontos para a Segurança Social e 60 anos de idade se possam reformar antecipadamente sem qualquer penalização. O novo regime, para entrar em vigor no próximo ano, foi esta quarta-feira apresentado às confederações patronais e sindicais pelo ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva. O executivo propôs ainda que os trabalhadores com menos de 48 anos de carreira contribut
Europa O presidente do Eurogrupo, o holandês Jeroen Dijssebloem, disse, esta quarta-feira, que não tem intenção de se demitir do cargo, em resultado da polémica aberta pelas fortes declarações a um jornal alemão, em que alude a gastos com «copos e mulheres» por parte dos países do Sul da Europa. «O meu estilo é direto e, se as pessoas tomaram as minhas declarações como uma ofensivas, lamento profundamente», disse Dijssebloem, citado pela agência Reuters. Numa entrevista ao jornal alemão ‘Frankf
Síria Um ataque aéreo da coligação liderada pelos EUA, tendo como alvos posições do Estado Islâmico (EI), provocou, esta quarta-feira, 33 mortos numa escola junto a Raqqa, cidade sob controlo da organização terrorista. Este é o segundo ataque norte-americano que causa, maioritariamente, vítimas civis, depois de no último sábado, um bombardeamento ter morto 52 pessoas numa mesquita. Vários ativistas e organizações humanitárias vieram já condenar o ataque, afirmando que os bombardeamentos pioraram

destaques