SEGUNDA-FEIRA, 27-02-2017, ANO 18, N.º 6239
João Lourenço, vice-presidente MPLA
Angola
Vice-presidente do MPLA pede vitória «retumbante» nas eleições de agosto
20:47 - 11-01-2017
O vice-presidente do MPLA, João Lourenço, indicado para encabeçar a lista do partido às próximas eleições gerais em Angola, apelou hoje aos militantes e dirigentes para trabalharem em conjunto para uma vitória «retumbante» em agosto.

«Este é um ano de grandes desafios e, como sabemos, temos de enfrentar o pleito eleitoral, em agosto do corrente ano. E para alcançarmos a vitória, uma vitória que seja retumbante, que esteja à dimensão dos 60 anos do nosso partido, é preciso que trabalhemos, que trabalhemos bem e bastante», afirmou João Lourenço.

O também ministro da Defesa de Angola falava em Luanda, na sede do partido, na habitual cerimónia de cumprimentos de Ano Novo, tendo enfatizado a necessidade de preparar desde já as próximas eleições, presidenciais e legislativas.

«É preciso trabalharmos buscando objetivos muito concretos, trabalhando de forma colegial, porque sozinho ninguém alcança vitórias. Aqui não há milagreiros, como dizem os brasileiros», disse ainda.

João Lourenço, que enquanto indicado como cabeça-de-lista do partido concorre para o cargo de Presidente da República, ocupado desde 1979 por José Eduardo dos Santos, enfatizou: «Um dirigente, sozinho, não garante a vitória do MPLA. Em conjunto sim».

Acrescentou a convicção que «mais uma vez» o MPLA vai «saber merecer a confiança do eleitorado, de uma forma geral a confiança dos cidadãos angolanos, que reconhecem em nós o único partido à altura de dirigir os destinos do nosso país».

Por isso, defendeu, 2017, «por ser um ano de trabalho, não é um ano de grandes discursos».

Será um ano em que «a gente quer ver ações concretas, muito trabalho» e em que serão necessárias «horas extras».

«Já sabemos que não vamos poder trabalhar como funcionários. Não há oito horas de trabalho. De agora até agosto, vamos trabalhar quantas horas forem necessárias, para que consigamos obter os tais bons resultados, nas eleições», rematou.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

País A Operação Carnaval da GNR registou, desde a meia noite de sexta-feira, 421 acidentes, que resultaram em sete feridos graves e 123 ligeiros. No balanço anterior, no sábado à noite, a GNR reportara 186 acidentes, cinco feridos graves e 49 ligeiros. Até terça-feira, os militares da GNR «vão patrulhar e fiscalizar sobretudo as estradas com destino aos locais onde decorrem as festividades do Carnaval, e estar atentos à falta de carta de condução, ao excesso de velocidade, à condução sob efeito d
Guiné-Bissau O Fundo das Nações Unidas (ONU) para a Infância (UNICEF) ofereceu um carro Todo-o-Terreno e 85 motas ao Ministério da Saúde Pública guineeense. Citado pela Rádio Sol Mansi, o ministro da Saúde Pública, Carlitos Barai, disse que as referidas doações «visam apoiar o reforço da capacidade institucional do governo em termos de transportes, para que os técnicos possam penetrar nas zonas mais longínquas do país», permitindo, assim, «o melhoramento da vida sanitária das populações». Por sua ve
Estados Unidos Cerca de 250 pessoas concentraram-se este domingo, em Nova Iorque, para apoiar o diário ‘The New York Times’, contra a administração Trump, numa altura em que o tom de crispação entre os ‘media’ e a Casa Branca aumenta. E parece não ficar por aqui. Conhecida como r«eduto democrata», Nova Iorque tem sido cenário de várias manifestações anti-Trump desde que o milionário foi eleito 45.º presidente dos EUA, em novembro de 2016. Os manifestantes concentraram-se em frente ao edifício do ‘The Ne

destaques