DOMINGO, 26-02-2017, ANO 18, N.º 6238
Guilherme Figueiredo, Bastonário da Ordem dos Advogados (LUSA)
País
Ordem dos Advogados defende redução das custas judiciais
20:39 - 11-01-2017
O novo bastonário da Ordem dos Advogados (OA), Guilherme Figueiredo, defendeu na cerimónia de posse «uma diminuição acentuada das custas judiciais».

«A justiça é um bem essencial e não um bem económico», alertou Guilherme Figueiredo, empossado esta quarta-feira no cargo de bastonário.

Guilherme Figueiredo justificou a necessidade de redução das custas judiciais com os «valores escandalosos» que atingem, alertado igualmente para o facto de a classe média estar empobrecida.
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Alemanha Uma das três pessoas atropeladas sábado por um carro numa zona pedonal em Heidelberg, na Alemanha, morreu hoje informou a polícia. A vítima mortal é um alemão de 73 anos, que tinha ficado gravemente ferido. As outras pessoas, que só apresentavam ferimentos ligeiros, são um austríaco de 31 anos e uma mulher da Bósnia-Herzegovina de 29 anos, que foram assistidos no local. As autoridades germânicas afastam a hipótese de o atropelamento ser um ato terrorista. O condutor foi atingido no loca
País A Operação Carnaval da GNR que começou às zero horas de sexta-feira já registou 186 acidentes rodoviários, que resultaram em cinco feridos graves e 49 ligeiros, de acordo com dados provisórios avançados pelo comando-geral da corporação. Até terça-feira, a GNR vai estar especialmente atenta à falta de carta de condução, ao excesso de velocidade, à condução sob efeito do álcool e drogas, à falta ou uso incorreto de cinto de segurança e cadeirinhas de crianças e à utilização indevida do telemóve
Revista de Imprensa «Há quatro cartas rogatórias enviadas pelo Ministério Público no âmbito da Operação Marquês que ainda não tem resposta. A procuradora-geral da República tem dado indicações para que a acusação seja concluída a 17 de março, mas há dados relativos às suspeitas de pagamentos de luvas nos negócios da PT – que envolvem, além do ex-primeiro ministro José Sócrates, o antigo administrador da CGD Armando Vara e os ex-gestores da PT Zeinal Bava e Henrique Granadeiro – que a investigação considera cruciais

destaques