SÁBADO, 25-02-2017, ANO 18, N.º 6237
Guiné-Bissau
Mais de 400 pessoas em fuga da Gâmbia procuram refúgio no país
19:56 - 11-01-2017
Mais de 400 refugiados, em fuga da Gâmbia, entraram na Guiné-Bissau entre os dias 6 e 9 deste mês, disse esta quarta-feira à Lusa o secretário-executivo da Comissão de Apoio aos Refugiados na Guiné-Bissau, Tibna Sambé Na Wana.

Os dados de que dispõe Tibna Sambé Na Wana foram fornecidos pelo escritório das Nações Unidas na localidade guineense de São Domingos a partir de registos feitos no posto fronteiriço de Djegue, que separa a Guiné-Bissau do Senegal.

Apesar de a Guiné-Bissau não fazer fronteira com a Gâmbia, Sambe Na Wana admite que pessoas vindas daquele país poderão estar a entrar no território guineense a partir de outras localidades.

A Gambia vive um período de tensão e de agitação política com o aproximar da data limite fixada pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) para avançar com uma intervenção militar para forçar o Presidente Yaya Jammeh a abandonar o poder.

Presidente da Gambia há 22 anos, Jammeh recusa-se a sair do poder na sequência de uma derrota eleitoral. Inicialmente reconheceu ter perdido as eleições mas dias depois voltou atrás com a sua posição.

A CEDEAO deu-lhe até dia 19 deste mês para sair do poder, caso contrário admite o uso da força.

Nos últimos há relatos nos órgãos de comunicação social guineenses da entrada em massa de pessoas, entre cidadãos da Guiné-Bissau residentes na Gâmbia e também de gambianos, a procurarem refugio em São Domingos, Canchungo, Ingoré, Bafatá, Gabu e Bissau.

O Governo guineense prepara um plano de contingência para acomodar os refugiados e o secretário executivo da comissão de apoio aos refugiados apela para que pessoas fugidas da Gâmbia se apresentarem junto das autoridades.
Lusa

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

País O ex-secretário de Estado, Paulo Núncio, assumiu este sábado, em comunicado, «responsabilidade política» pela não publicação de dados relativos a transferências de dinheiro para offshores, pedindo o abandono das suas funções atuais no CDS-PP. «Tendo em conta o tempo que decorreu entre os factos e o presente e tendo tido agora a oportunidade de revisitar os documentos que têm sido noticiados, nomeadamente os apresentados pelos serviços para publicação de informação estatística das transferênci
Moçambique Morreu na madrugada de ontem, na cidade da Beira, o ex-ministro do Interior, Manuel José António Mucananda, ou simplesmente Manuel António, nome pelo qual era tratado. Manuel António, segundo fontes familiares, morreu vítima de doença prolongada no Hospital Central da Beira, para onde foi transportado depois de se sentir mal. Um dos filhos disse que uma das causas da morte pode ter sido uma paragem cardíaca, tendo em conta que o pai era hipertenso. Coronel na reserva, ex-ministro de In
Amadora Uma colisão seguida de atropelamento no IC19 fez um morto e um ferido ligeiro na manhã deste sábado, junto à saída para a Amadora. A vítima mortal é uma mulher, de 41 anos, que foi atropelada depois de sair do seu carro, que avariou na via, tendo sido colhida por uma carrinha que a projetou para a berma. Foi assistida no local e transportada de emergência para o hospital Amadora-Sintra, onde terá chegado já sem vida, segundo o Correio da Manhã. O acidente ocorreu por volta das 10.50 ho

destaques