DOMINGO, 26-02-2017, ANO 18, N.º 6238
Donald Trump (AP)
Estados Unidos
«A Rússia vai ter mais respeito quando for eu a liderar» - Donald Trump
18:01 - 11-01-2017
O presidente dos Estados Unidos eleito, Donald Trump, deu esta quarta-feira uma conferência de imprensa, onde respondeu a questões relacionadas onde os principais temas abordados foram o fim do Obamacare, relações com a Rússia e o suposto `hacking´, bem como a construção de um muro na fronteira com o México.

Donald Trump desvalorizou o alegado ataque pirata protagonizado pelos serviços secretos russos e afirmou que as relações entre os dois países serão diferentes quando assumir o cargo.

«Acho que foi a Rússia, mas houve muito `hacking´ a acontecer», disse onde acrescentou que o Partido Democrata «fez um péssimo trabalho a defender-se».

«Não tenho nenhum negócio com a Rússia», salientou. «A Rússia vai ter muito mais respeito por nós quando for eu a líder o país», acrescentou posteriormente, quando o tema voltou a ser abordado por um dos jornalistas presentes.

O presidente eleito foi questionado sobre o Obamacare, onde afirmou que será extinto e substituído por algo melhor.

«Vão ficar orgulhosos do que temos preparado. O Obamacare é um completo desastre. Vai ser repelido e substituído em simultâneo, será muito menos dispendioso e muito melhor», disse em relação ao plano de saúde criado durante a presidência de Barack Obama.

Trump voltou a afirmar que será contruído um muro na fronteira com o México, mas que isso não inviabiliza um acordo entre os dois governos.

«Vamos contruir um muro. Podíamos esperar um ano e meio enquanto se negoceia com o México, mas não estou com vontade de esperar. O México vai reembolsar-nos porque isso vai acontecer», afirmou.

«Provavelmente até vamos ter um acordo antes disso [o tal ano e meio que referiu]», acrescentou.

Donald Trump toma posse a 20 de janeiro. A conferência ainda ficou marcada por Trump impedir que um jornalista da CNN fizesse uma pergunta, cadeia de televisão que acusa de dar suporte ao `site´ BuzzFeed, que classifica de ser um «monte de lixo» e que cria «notícias falsas».
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

Estados Unidos O Partido Democrata elegeu, este sábado, Tom Pérez como novo líder, ligado à ala mais tradicional, que se comprometeu a reforçar as estruturas locais para vencer os republicanos na próxima eleição presidencial. De ascendência hispânica, Pérez foi secretário de estado do Trabalho e advogado em causas de direitos civis - angariou 235 de 445 votos dos membros do Comité Nacional do partido. Tom Pérez, de 55 anos, era apoiado pelo ex-vice-presidente Joe Biden. O primeiro ato de Tom Pérez foi
São Brás Alportel O idoso que desapareceu esta sexta-feira ao final da tarde, em São Brás de Alportel, no Algarve, foi encontrado com vida. O homem, que sofre de Alzheimer, tinha sido visto pela última vez por um grupo de amigos, por volta das 17.30 horas, informou, igualmente, o Correio da Manhã. O septuagenário caiu num buraco, na serra, e não se conseguiu levantar, numa zona de mato, a cerca de um quilómetro de onde tinha sido visto pela última vez. Quando foi encontrado, estava consciente e bem de
Iraque Tropas iraquianas apoiadas pela aviação e helicópteros militares combatem este sábado os rebeldes ‘jihadistas’ a oeste de Mossul, mas a batalha para retomar o último grande bastião do Estado Islâmico (EI) no país não está fácil. Nos últimos dois dias, centenas de civis fugiram das zonas de combate, à medida que os militares progrediam no terreno, enquanto as Organizações Não-Governamentais (ONG) estimam em 750 mil o número de habitantes que ainda estão subjugados aos ‘jihadistas’ no setor oes

destaques