QUINTA-FEIRA, 23-03-2017, ANO 18, N.º 6263
Dylann Roof (AP)
Estados Unidos
Autor de massacre em igreja de Charleston condenado à morte
23:46 - 10-01-2017
O autor confesso do massacre com motivações racistas de 2015, numa igreja de Charleston, na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, foi condenado à morte.

Dylann Roof foi responsável pela morte de nove afro-americanos, que assumiu posteriormente que queria provocar uma «guerra racial» e nunca mostrou arrependimento pelos seus atos.

«Na minha confissão ao FBI, disse-lhes que tinha de o fazer. Senti que tinha de o fazer quando o disse e ainda sinto o mesmo», disse.

O jovem de 22 anos optou por não apresentar provas nem pedir prisão perpétua, escolhendo defender-se a ele próprio.

«Tenho o direito de vos pedir que me condenem a uma pena de prisão perpétua [o que, a confirmar-se, evitaria a sua condenação à morte], mas não tenho certeza que bem é que isso faria a qualquer pessoa», afirmou.

A decisão foi tomada por um grupo de jurados, que estiveram menos de três horas reunidos para decidirem a sentença de Roof.
Redação

Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter

mais do dia

País O Governo propôs aos parceiros sociais que os trabalhadores com, pelo menos, 48 anos de descontos para a Segurança Social e 60 anos de idade se possam reformar antecipadamente sem qualquer penalização. O novo regime, para entrar em vigor no próximo ano, foi esta quarta-feira apresentado às confederações patronais e sindicais pelo ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva. O executivo propôs ainda que os trabalhadores com menos de 48 anos de carreira contribut
Europa O presidente do Eurogrupo, o holandês Jeroen Dijssebloem, disse, esta quarta-feira, que não tem intenção de se demitir do cargo, em resultado da polémica aberta pelas fortes declarações a um jornal alemão, em que alude a gastos com «copos e mulheres» por parte dos países do Sul da Europa. «O meu estilo é direto e, se as pessoas tomaram as minhas declarações como uma ofensivas, lamento profundamente», disse Dijssebloem, citado pela agência Reuters. Numa entrevista ao jornal alemão ‘Frankf
Síria Um ataque aéreo da coligação liderada pelos EUA, tendo como alvos posições do Estado Islâmico (EI), provocou, esta quarta-feira, 33 mortos numa escola junto a Raqqa, cidade sob controlo da organização terrorista. Este é o segundo ataque norte-americano que causa, maioritariamente, vítimas civis, depois de no último sábado, um bombardeamento ter morto 52 pessoas numa mesquita. Vários ativistas e organizações humanitárias vieram já condenar o ataque, afirmando que os bombardeamentos pioraram

destaques