SEXTA-FEIRA, 29-04-2016, ANO 17, N.º 5935

mais do dia

Lisboa Os cerca de quatro mil táxis que iniciaram esta sexta-feira, pelas 9 horas, uma marcha lenta de protesto contra a Uber já chegou ao Parlamento, com os dirigentes da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) e da Federação Portuguesa do Táxi (FPT) a empunharem uma faixa onde se lê «Uber ilegal é crime nacional». Pelas 13.45 horas, os taxistas começaram a concentrar-se em frente à Assembleia da República, que se encontra vedada por um gradeamento com de
Cabo Verde Questionado, na qualidade de comandante Supremo das Forças, se haverá consequências e responsabilização em relação aos acontecimentos de Monte Tchota, que provocaram a morte de 11 pessoas, o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, que falava à saída da Embaixada de Espanha, depois de assinar o livro de condolências pela morte de dois espanhóis nessa tragédia, disse que «nessas coisas devemos distinguir os momentos». «Estamos muito em cima dos acontecimentos, o momento é
Moçambique O presidente do Município da Beira reagiu à dívida pública moçambicana. Em conferência com a imprensa, Daviz Simango referiu que o país está a passar por uma crise económica e política sem precedente, provocada pelo endividamento intransparente do Estado, aliado às manifestações com tendência de retornar o país ao regime político monopartidário. Simango condenou o atual cenário da dívida pública, uma matéria que tem estado nos últimos tempos a dominar a atenção a nível nacional e internacion
Conteúdo inexistente.

destaques