SEGUNDA-FEIRA, 23-01-2017, ANO 17, N.º 6204
Nasceram 17,86 milhões de bebés num ano depois do fim da política do filho único
China A China registou, em 2016, o número mais alto de nascimentos este século, de acordo com dados oficiais, depois de o Governo ter posto fim à politica do «filho único», permitindo a todos os casais ter um segundo filho. No total, nasceram 17,86 milhões de crianças no ano passado no país, um aumento de 7,9% face a 2015. Quase metade dos nascimentos ocorreram em famílias que já têm uma criança, anunciou no domingo a Comissão Nacional da Saúde e Planeamento Familiar.
Administração Trump elimina site em espanhol da Casa Branca
Estados Unidos A versão em espanhol do site da Casa Branca desapareceu, horas depois do novo presidente dos EUA, Donald Trump, ter sido investido no cargo. Agora, quem tenta(rá) aceder a www.whitehouse.gov/espanol, depara-se com a seguinte mensagem: «Lamentamos, a página que procura já não existe». A versão em espanhol da página foi pela primeira vez criada nos meses seguintes à chegada ao poder do ex-presidente Barack Obama, e até alguns dias antes da tomada de posse de Trump, tinha um blog dedicado a temas de interesse da comunidade hispânica. O governo de Trump, no qual não há qualquer latino em cargos de responsabilidade, ordenou também o encerramento de outros instrumentos de comunicação em espanhol, como a conta @LaCasaBlanca, na rede social Twitter, e uma página do Facebook. Durante a campanha eleitoral, o magnata nova-iorquino do imobiliário protagonizou vários momentos polémicos, fazendo críticas ao uso da língua espanhola nos EUA, país onde mais de 55 milhões de pessoas são falantes dessa língua.
Credores avisam que podem exigir «indemnização legal» sobre `default`
Moçambique O grupo de credores da dívida pública de Moçambique avisou hoje que se reserva o direito de exigir «indemnização legal», no seguimento da falha do pagamento de quase 60 milhões de dólares da prestação de janeiro. «Na ausência da adoção de uma abordagem construtiva, incluindo o pagamento do cupão agora em incumprimento, por parte do Governo de Moçambique e dos seus consultores, o comité reserva todas as formas de indemnização legal», lê-se num comunicado hoje divulgado. De acordo com a nota enviada ao mercado, o grupo de credores que detém mais de 60% da dívida púbica de 726,5 milhões de dólares emitida em abril do ano passado, e cujo pagamento da prestação de janeiro Moçambique anunciou que ia falhar, lembra que continua disponível para debater com as autoridades. «Ainda que as negociações sejam prematuras, o comité está preparado para discutir as suas posições e a análise de todos os aspetos da situação que Moçambique enfrenta», acrescenta o texto, que dá ainda de conta de que «até à data, nem o Governo nem os seus conselheiros abordaram o comité sobre essas discussões iniciais, prévias a qualquer fase de potencial negociação». Para este grupo, que inclui as casas de investimento AllianceBernstein, Franklin Templeton Investment Management e Greylock Capital Management, bem como a NWI e a Pharo Management, a falta de pagamento da prestação de janeiro «foi um passo atrás na perspetiva de Moçambique estar nas negociações com os credores de boa-fé». Para os credores, aliás, o incumprimento financeiro «foi desnecessário», já que as finanças púbicas moçambicanas registaram melhorias no último trimestre do ano passado que lhes permitia ter liquidez suficiente para fazer o pagamento. «O `default` foi desnecessário, dada a melhoria desde outubro na situação económica e financeira do país", acrescenta o comunicado, que conclui criticando a dualidade de critérios sobre os compromissos financeiros de Moçambique, já que a dívida comercial está a ser paga, o que significa "um `default` estratégico direcionado para os detentores de títulos de dívida pública». O Ministério das Finanças de Moçambique confirmou na segunda-feira passada que não vai pagar a prestação de janeiro, de 59,7 milhões de dólares relativos aos títulos de dívida soberana com maturidade em 2023, entrando assim em incumprimento financeiro (`default`). «O Ministério da Economia e Finanças da República de Moçambique quer informar os detentores dos 726,5 milhões de dólares com maturidade a 2023 emitidos pela República que o pagamento de juros nas notas, no valor de 59,7 milhões de dólares, que é devido a 18 de janeiro, não será pago pela República», lê-se num comunicado disponibilizado em Maputo. No documento, Moçambique lembra que já tinha alertado em outubro para a falta de liquidez durante este ano e salienta que encara os credores como «parceiros importantes de longo prazo, cujo apoio à necessária resolução do processo da dívida vai ser crítico para o sucesso futuro do país». Na sequência deste anúncio, a Standard & Poor`s cortou o `rating` do país para `SD/D`, ou seja, incumprimento financeiro parcial, e considerou que a falta de pagamento era uma estratégia governamental para forçar os detentores de dívida a negociarem uma reestruturação da dívida, o que até agora têm rejeitado. Já a Fitch manteve o `rating` do país mas alertou que a falta de pagamento da prestação de janeiro por Moçambique vai «aumentar o período de incerteza» sobre a reestruturação da dívida soberana emitida em abril do ano passado. A Moody`s, por seu turno, também considerou a falta de pagamento como um incumprimento, mas não desceu o `rating`, considerando que a avaliação de Caa3 já implica uma assunção de potenciais perdas para os credores de 20 a 35%, que podem chegar a quase 50% de acordo com a média histórica de `defaults` soberanos.
23-01-2017 - 12:18
China planeia lançar nova sonda lunar em novembro
China A China pretende lançar no final deste ano uma nova sonda lunar, a Chang E-5, a primeira projetada para regressar à Terra, informou a Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (CASC). Esta missão, que será a primeira para recolher amostras de forma automatizada, vai ocorrer quatro anos depois do lançamento da última sonda lunar chinesa, que cessou operações em agosto passado. A Chang E-5, composta por quatro módulos, pesa 8,2 toneladas e partirá do centro espacial Wenchang, situado na província insular de Hainan (sul do país).
Detidas 17 pessoas por alegada ligação ao Estado Islâmico
Indonésia As autoridades da Indonésia detiveram 17 pessoas que tentavam entrar no país provenientes da Turquia, por serem suspeitas de terem ajudado o grupo radical Estado Islâmico na Síria, informou hoje a imprensa local. «Ainda estão a ser investigados no (centro de detenção de) Kelapa Dua pela Densus 88», disse o porta-voz da polícia, Awi Setiyono, ao diário The Jakarta Post. Os detidos foram intercetados no sábado no aeroporto de Jacarta por agentes de imigração e da unidade antiterroristas Densus 88, que os colocou sob custódia.
Benoît Hamon vence primeira volta das primárias da esquerda francesa
França Benoît Hamon arrecadou 35,21% dos votos e superou Manuel Valls na primeira volta das primárias da esquerda francesa que vão ditar o candidato apoiado pelo Partido Socialista para as próximas presidenciais. Valls, que partia na frente, segundo as últimas sondagens, ficou em segundo lugar, com 31,56% dos votos. Numa altura em que estão contados mais de um terço dos votos, Hamon, 49 anos, ficou à frente do ex-primeiro-ministro Manuel Valls que também passa à segunda volta, que se realiza a 21 de janeiro. As eleições presidenciais em França estão marcadas para 23 de abril.
Presidente turco em visita oficial e acompanhado por 150 empresários
Moçambique O presidente moçambicano, Filipe Nyusi, recebe, na terça-feira, em Maputo, o homólogo da Turquia, Recep Erdogan, naquela que será a primeira visita de um chefe de Estado turco ao país. Segundo comunicado divulgado pela Presidência moçambicana, Nyusi e Erdogan vão testemunhar a assinatura de instrumentos jurídicos de cooperação bilateral e participar no Fórum de Negócios Moçambique-Turquia. Erdogan viaja acompanhado pelos ministros dos Negócios Estrangeiros, Economia e Energia e por uma comitiva composta por cerca de 150 empresários. A visita decorre «no quadro do aprofundamento das relações de amizade e de cooperação» e será uma ocasião para «passar em revista e perspetivar as relações bilaterais, particularmente no domínio económico e comercial, onde ambos os países possuem vantagens comparativas ainda por explorar», assinala o comunicado da Presidência. De acordo com a CTA (Confederação das Associações Económicas de Moçambique), a delegação empresarial turca abrange os setores do turismo, energia, mineração, transportes, construção e infraestruturas. A Turquia tem-se aproximado nos últimos anos de Moçambique, sendo atualmente um dos 10 maiores investidores estrangeiros. No final de 2015, a transportadora Turkish Airlines abriu uma rota entre Istambul e Maputo.
Encontrado mais um corpo da avalanche em Farindola
Itália Equipas de buscas encontraram, este domingo, o corpo de um homem e, com a divulgação desta informação, o balanço provisório da avalanche é de seis mortos, mais de 20 desaparecidos e 11 pessoas resgatadas com vida, das quais nove foram retiradas dos escombros do hotel Rigopiano, localizado na montanha de Gran Sasso, em Farindola, província de Pescara. A descoberta do sexto cadáver acontece quatro dias depois de uma avalanche, possivelmente provocada por sismos registados na quarta-feira naquela região, ter soterrado o hotel Rigopiano de Farindola, situado a 1.300 metros de altitude na cordilheira dos Apeninos, região de Abruzzo. Os trabalhos de busca para encontrar possíveis sobreviventes continuam no terreno de forma interrupta. Neste momento, estão mobilizados cerca de 130 efetivos, incluindo militares, bombeiros, polícias e membros da Cruz Vermelha ou dos serviços de socorro da região. No frio, neve e neblina e sob a ameaça de mais avalanches, os socorristas estão a mover-se muito lentamente, com receio de deslizamentos de terra no hotel submerso sob toneladas de neve e detritos.
Theresa May promete fazer frente a Donald Trump
Reino Unido A primeira-ministra britânica promete fazer frente a Donald Trump sempre que o presidente dos Estados Unidos disser algo inaceitável. Em entrevista à BBC, Theresa May assegura que não vai ter medo de enfrentar o novo presidente dos Estados Unidos sempre que este disser «alguma coisa imprópria». Questionada sobre se vai tomar alguma posição relativamente ao papel das mulheres, May defendeu que só o facto de ser mulher e liderar um país falam por ela. O presidente norte-americano recebe a primeira-ministra britânica na próxima sexta-feira, naquela que será a primeira reunião oficial de Donald Trump com um líder estrangeiro.
Ilha do Sal promove festival de literatura com curadoria de José Luís Peixoto
Cabo Verde A ilha cabo-verdiana do Sal vai acolher, a partir deste ano, um festival de literatura do mundo, numa parceria entre a autarquia, o mecenato local e o escritor português José Luís Peixoto, curador do evento. O festival, que se realizará anualmente já a partir de julho de 2017, ganha forma através de um protocolo, a assinar hoje na cidade do Mindelo, São Vicente, entre a Câmara Municipal do Sal (entidade promotora), a empresa Aeroportos e Segurança Aérea - ASA (mecenas principal), a Rosa de Porcelana Editora (responsável pela programação cultural e científica) e o escritor José Luís Peixoto (responsável pela curadoria do festival). O Festival de Literatura-Mundo do Sal «estruturar-se-á em quatro dias de encontro com personalidades das letras de vários continentes para um diálogo sobre os vários fazeres literários, com participações de escritores, críticos, estudiosos e jornalistas internacionais, criando na ilha do Sal um evento temático de marca, com ressonância cultural e indutora de um segmento do turismo das artes e letras», adianta uma nota sobre o evento. A literatura-mundo define-se pela sua tradutibilidade, supranacionalidade e universalidade. O protocolo será assinado nas instalações da Academia Livre de Artes Integradas do Mindelo (ALAIM), que hoje comemora o seu primeiro ano de existência. Surgida da urgência de ter no Mindelo um espaço para ministrar formação nas mais diversas áreas artísticas, volvido um ano, a ALAIM conta com cerca de duas centenas de alunos em áreas como o teatro, a música ou o ballet. A seguir à assinatura do protocolo será apresentada, em reposição, a peça de teatro «Estrangeiras», do escritor José Luís Peixoto, encenada pelo coordenador da ALAIM e diretor do Centro Cultural Português do Mindelo, João Branco. Na segunda e terça-feira José Luís Peixoto fará a apresentação, respetivamente no Mindelo e na Praia, da obra «Estrangeiras», o resultado em livro da peça teatral, já estreada em Portugal, Brasil e Cabo Verde e que aborda o desconhecimento da lusofonia sobre si própria.
Presidente aceita reunir-se com Trump em Washington no final do mês
México O presidente do México, Enrique Peña Nieto, teve este sábado uma conversa telefónica com Donald Trump ficou combinado um encontro «para breve». À tarde, o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, divulgou que o encontro será no dia 31 de janeiro para discutor «comércio, imigração e segurança.» Nieto disse que durante o telefonema «expressou a vontade do México em trabalhar numa agenda que beneficie os dois países, com respeito à soberania de cada um», sem citar diretamente a questão do muro.

destaques